NOTÍCIAS
03/10/2014 12:05 -03 | Atualizado 26/01/2017 20:57 -02

Partidários do regime chinês atacam acampamento do Occupy Central; polícia tenta conter confronto

Chris McGrath / Getty Images

Centenas de partidários do regime chinês atacaram, nesta sexta-feira (3), o acampamento onde manifestantes pró-democracia estão concentrados em Hong Kong.

De acordo com o South China Morning Post, um grupo de cerca de 30 homens mascarados arrancou faixas e destruiu as barricadas montadas pelos manifestantes.

A polícia tentou intervir e chegou a formar um cordão de isolamento entre manifestantes pró-democracia e defensores do regime chinês - que atacaram o outro lado lançando garrafas - , mas o tumulto seguiu.

Alguns manifestantes criticaram a polícia, e afirmaram que as autoridades “não fizeram nada” para conter a confusão.

Enquanto o grupo pró-regime pede a desocupação das ruas, os manifestantes ameaçam cessar as conversas com o governo, caso as manifestações violentas prossigam.

Nesta quinta-feira (2), o governante de Hong Kong, Leung Chun-ying, concordou em abrir negociações com manifestantes pró-democracia, mas recusou-se a renunciar. Com o apoio do governo chinês, Leung deixou claro que não irá recuar diante das piores distúrbios da cidade em décadas.

O Secretário de Finanças, John Tsang, advertiu que os contínuos protestos no distrito financeiro poderiam causar danos "permanentes" para a cidade, centro financeiro asiático.

O número de participantes na manifestação diminuiu em alguns locais de protesto e em torno da área central em meio à chuva que caia nesta sexta-feria e pelo fato de a população de Hong Kong voltar ao trabalho depois de um feriado de dois dias.