NOTÍCIAS
01/10/2014 14:54 -03 | Atualizado 26/01/2017 20:57 -02

Ex-diretor da Petrobras aceita devolver R$ 70 mi e irá cumprir pena em regime domiciliar

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

Paulo Roberto Costa deixou a prisão da Polícia Federal em Curitiba no início da parte desta quarta-feira (1º). O ex-diretor da Petrobras, que havia sido preso na Operação Lava Jato, deflagrada no dia 17 de março deste ano em vários estados brasileiros e no Distrito Federal, cumprirá pena em regime domiciliar no Rio de Janeiro até o julgamento.

Costa obteve a mudança de regime prisional após um acordo de delação premiada, aprovado e homologado pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF) – o benefício foi concedido pelo juiz, Sérgio Moro, responsável pelo processo da Operação Lava Jato na Justiça Federal do Paraná.

Para cumprir o acordo de delação, Paulo Roberto terá que pagar fiança de R$ 5 milhões. Ele também terá que devolver aos cofres públicos cerca de R$ 70 milhões, entre dinheiro e bens, por causa de sua participação em crimes ligados à estatal, segundo o acordo de delação premiada que assinou com o Ministério Público.

Segundo a Folha de S.Paulo, Costa entregará à União cerca de 23 milhões de dólares mantidos na Suíça e 2,8 milhões de dólares mantidos, em nome de parentes, no Royal Bank of Canada das Ilhas Cayman, paraíso fiscal no Caribe. Cerca de R$ 1,3 milhão em dinheiro, uma lancha no valor de R$ 1,1 milhão, um terreno avaliado em R$ 3,2 milhões e um carro (R$ 300 mil) também voltarão aos cofres públicos.