NOTÍCIAS
30/09/2014 19:46 -03 | Atualizado 26/01/2017 20:57 -02

Ibope: Geraldo Alckmin ‘desidrata' e vê aproximação de rivais, mas ainda venceria no 1º turno em São Paulo

GABRIELA BILÓ/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) perdeu quatro pontos percentuais, mas ainda seria reeleito no primeiro turno, segundo a pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (30) pelo G1. A tímida subida dos principais adversários – Paulo Skaf (PMDB) e Alexandre Padilha (PT) – ainda não parece representar uma ameaça, a cinco dias das eleições.

Alckmin tem 45% das intenções de voto, ante 49% que possuía no levantamento anterior, realizado pelo instituto nos dias 20 e 22 de setembro.

Skaf oscilou dentro da margem de erro – que é de dois pontos, para mais ou para menos – , aparecendo com 19% (tinha 17% na pesquisa anterior).

Padilha agora está com 11%, dois pontos acima dos 9% anteriores.

Outro candidato a pontuar foi Laércio Benko (PHS), com 1% das intenções de voto. Os demais candidatos não atingiram 1% neste levantamento do Ibope (marca alcançada apenas se somados todos eles).

Os votos brancos e nulos chegam a 13%, enquanto 10% não sabem ou não responderam.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e ouviu 2.002 eleitores entre os dias 27 e 29 de setembro, em 96 municípios de São Paulo. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levada em conta a margem de erro, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

O levantamento está registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o protocolo número SP-00050/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob protocolo número BR-00903/2014.

Segundo turno

Em um eventual segundo turno, Alckmin venceria Skaf por 49% a 28%. Brancos e nulos chegam a 14%, enquanto não sabem ou não responderam 8%.

Rejeição

No quesito rejeição, o Ibope mostra que a maior margem segue sendo de Padilha, com 20%. Na sequência aparecem Alckmin (18%), Skaf (13%), Maringoni (9%), Natalini (8%), Sena (8%), Benko (8%), Ciglioni (7%) e Farias (7%).

Ao todo, 16% disseram que votariam em todos. Não souberam ou não responderam foram 37%.

Avaliação do governo

Os entrevistados pelo Ibope também abordaram o que pensam sobre o governo de Geraldo Alckmin. Para 43%, a gestão tucana é “ótima ou boa”, enquanto 33% a consideram “regular”. Já 20% avaliam a gestão Alckmin como “ruim ou péssima”. Não responderam ou não quiseram opinar 4% dos eleitores.

LEIA TAMBÉM

- #DebateNaRecord: Paulo Skaf e Alexandre Padilha ‘apelam' até para nanicos, mas Geraldo Alckmin curte seu voo de cruzeiro

- Datafolha: Alckmin abocanha metade do eleitorado e caminha para vitória no primeiro turno