NOTÍCIAS
29/09/2014 18:14 -03 | Atualizado 26/01/2017 20:57 -02

Sequestrador utiliza arma falsa para prender refém em Brasília

ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO CONTEÚDO

Por mais de sete horas, José Ailton foi mantido como refém no hotel em que trabalha, Hotel Saint Peter, em Brasília. O sequestrador foi identificado como Jac Souza dos Santos, de 30 anos. Após negociações, Jac liberou o funcionário e entregou-se à Polícia Civil. De acordo com a corporação, ele teria utilizado uma arma falsa.

Jac chegou ao hotel pela manhã, prendeu dinamites ao corpo do funcionário e ameaçou detoná-las, caso suas reivindicações não fossem atendidas. O sequestrador teria feito três pedidos para liberar o funcionário: a extradição do ativista italiano Cesare Battisti, a efetiva aplicação da Lei da Ficha Limpa e a saída de Dilma Rousseff da Presidência da República. Esta terceira exigência somente foi confirmada pelo G1.

A Polícia Civil também confirmou que as dinamites eram falsas. Independente do resultado da perícia, o sequestrador deve, ao menos, responder por cárcere privado, segundo informações da Globonews.

Segundo informações da Agência Brasil, Jac teria deixado uma carta de despedida. O delegado que acompanha o caso, Paulo Henrique Almeida, teme a possibilidade de Santos tentar suicídio.

É uma carta de despedida, meio desesperada, e na qual ele pede desculpas para todos os familiares por algum ato que venha a cometer”.

Quem é Jac Souza dos Santos?

De acordo com informações do G1, Jac Souza dos Santos mora em Combinado, no Tocantins, a cerca de 520 km da capital. Ele trabalha na campanha eleitoral de candidatos a deputados estadual e federal.

Entre 2009 e 2012, Jac foi secretário de Agricultura da cidade. Anteriormente, em 2008, ele concorreu para vereador do município pelo Partido Progressista (PP), mas não foi eleito. Ele não tem antecedentes criminais.

Segundo Maurílio Martins de Araújo, amigo de Jac entrevistado pelo Agência Brasil, o sequestrador é bem relacionado na cidade. “Esse menino trabalha comigo e com outras 20 pessoas aqui no comitê. Sábado (27) à noite, ele esteve em minha casa e disse que tinha que ir a Brasília para resolver uma questão com a ex-mulher, com quem tem uma filha, mas disse que voltaria na segunda. Hoje, depois de ligar para ele duas ou três vezes, liguei a TV e vi essa desgraça”, informou.

(Com informações da Agência Brasil)