NOTÍCIAS
27/09/2014 04:44 -03 | Atualizado 26/01/2017 20:57 -02

Fernando Haddad é posto contra a parede sobre faixas de ônibus, ciclovias e situação do PT em papo com a TV Folha (VÍDEO)

O prefeito de São Paulo Fernando Haddad concedeu entrevista à TV Folha na tarde desta sexta-feira (26). Em pauta, os temas mais polêmicos da gestão do petista, que está chegando a 50% do seu mandato que vai até 2016.

Um bom período do papo com os jornalistas Fernando Canzian e Mônica Bergamo foi dedicado a temas relacionados com a mobilidade urbana na capital, mais precisamente os tópicos envolvendo as faixas exclusivas de ônibus e as ciclofaixas.

Questionado sobre o viés “autoritário” em “não ter ouvido a população” sobre a questão das ciclofaixas, Haddad afirmou que o tema foi abordado por ele ainda no período eleitoral, em 2012.

“Passei seis meses imerso com um grupo de especialistas em todas as áreas, passei um tempo na área de mobilidade, que é uma área em que ninguém via solução”, disse Haddad, que ainda criticou o que chamou de “partidarização das ciclofaixas”.

“Se os carros e os ônibus não impactaram no Masp, você acha que a ciclofaixa irá?”, questionou o prefeito.

Segundo pesquisa Datafolha revelada na semana passada, a rejeição de Haddad regrediu de 47% para 28%. A melhora na avaliação popular passa justamente pelas atuais medidas que o governo municipal vem tomando no setor de mobilidade.

Menos tranquilo é o tema partidário. Haddad admitiu que o PT “talvez esteja em seu pior momento”, mas ele advertiu também que é preciso levar em conta os avanços que os 12 anos da sigla no comando do Brasil possibilitaram à uma grande parcela da população.

O prefeito de São Paulo adiantou ainda que acredita que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode ser sim candidato à Presidência da República em 2018. Voltando ao âmbito local, Haddad disse que o Parque Chácara do Jockey, no Butantã, deve ser aberto à população em até dez dias.

Ele ainda abordou a situação envolvendo o aumento do IPTU na capital e problemas crônicos, como a segurança pública, a questão das calçadas e dos táxis na cidade.

LEIA TAMBÉM

- Haddad lidera pedalaço no Dia Mundial Sem Carro e reivindica isenção de impostos na produção de bicicletas

- Paulistanos aprovam expansão de faixas exclusivas de ônibus e ciclovias na cidade (PESQUISA)

- Avanço de ciclofaixas em São Paulo vira alvo de críticas de vice de Aécio Neves, Aloysio Nunes: ‘delírio autoritário de Haddad'