NOTÍCIAS
19/09/2014 17:40 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Detentos organizam novo motim em Pedrinhas, presídio mais problemático do Maranhão

MÁRCIO FERNANDES/ESTADÃO

O pesadelo continua no presídio mais problemático do Maranhão, o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís.

Os detentos organizaram um motim na noite de quinta-feira (18) porque não querem a transferência de parte deles para o Presídio São luís III em Maruaí, na zona rural do município, segundo informações do G1.

Após a rebelião, o detento Hélio da Silva Sousa, de 21 anos, foi encontrado morto por enforcamento.

A unidade de Maruaí, que possui 479 vagas no regime fechado para presos provisórios e sentenciados, é uma das soluções apontadas pelo governo do estado para conter a superlotação e a violência no presídio.

LEIA MAIS:

- Com mais de 700 mil presos, Brasil precisa de política carcerária nacional antes que problema se torne insustentável, diz juiz

- Diretor de Pedrinhas, presídio mais problemático do Maranhão, é preso por suspeita de ajudar na fuga dos detentos

Para resolver o problema dos presídios do estado, o governo do Maranhão diz que está trabalhando por meio do Comitê de Gestão Integrada do Plano de Pacificação das Prisões, com representantes do Executivo e Judiciário local.

“Essa união de forças está colhendo os primeiros frutos com a entrega dos novos presídios”, informou a governadora Roseana Sarney (PMDB) no site do governo do Maranhão.

De acordo com a Secretaria de Comunicação do estado, cinco unidades prisionais serão abertas no sistema penitenciário do Maranhão até o final deste ano. Elas vão abrigar 2.446 detentos.

Outras quatro unidades prisionais, no interior, estão sendo reformadas e ampliadas. A expectativa é que elas ofereçam mais 564 vagas.

O Brasil é o terceiro país com maior número de detentos do mundo. São cerca de 715.655 presos.