COMPORTAMENTO
19/09/2014 12:34 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

A prova de que os avôs chineses são mais atléticos que você

PEQUIM – Sem esteiras, iPods ou camisetas de tecidos que afastam o suor. Sem shakes de proteína, hot yoga ou Fitbit. Armados apenas com os aparelhos básicos do parque e de uma forma física desconcertante, esses idosos chineses dão um show de destreza no Parque Templo Celeste, em Pequim.

temple of heaven park

Este senhor de 86 anos corre maratonas há quatro anos

Talvez ainda mais surpreendente seja saber que poucos deles nem sequer faziam exercícios antes de se aposentar. Na China, é normal que a pessoa comece a se fazer atividades físicas só depois de velha, quando as obrigações diárias consistem basicamente de barganhar os preços na feira e tomar conta dos netos. Quando isso está feito, eles vão para o parque para bater papo -- e para suar um pouco.

Quase todas as pessoas do vídeo estão aposentadas e têm mais de 60 anos. O homem deslizando com um rolo no começo do vídeo tem 86 e correu sua última maratona aos 82.

Geng Zhi, visto imitando o Homem Aranha a 1:03 e colocando a perna atrás da cabeça a 0:56, tem 67 anos e é aposentado. Ele passou anos trabalhando numa linha de montagem de uma empresa de autopeças.

“Na época eu não fazia nada de exercícios”, diz Geng. “Quem pensava nisso? Se você tivesse o que comer e um lugar para morar era suficiente.”

temple of heaven park

Geng Zhi tem 67 anos e faz exercícios desde que se aposentou.

Ágil, com punhos flexíveis, o “Velho Liu” (visto a 0:51) prefere a mesa de pingue-pongue. Ele bota homens que têm um quarto da sua idade para correr de um lado para o outro e comemora as cortadas com um soco no ar. Vindo de Gansu, uma província pobre no oeste da China, aos 19 anos, Liu nunca terminou o ensino fundamental. Na época, a República Popular da China tinha apenas quatro anos, e Liu entrou numa escola noturna que lhe deu um diploma do fundamental em apenas seis meses.

old liu ping pong beijing

"Velho Liu" fez 80 anos neste ano, mas está firme nos exercícios.

Sua relação com o pingue-pongue acompanhou os eventos internacionais: ele descobriu o esporte quando Rong Guotuan tornou-se o primeiro chinês a vencer um campeonato esportivo internacional, em 1959. Liu começou a jogar para valer durante a “Diplomacia Pingue-Pongue” dos anos 1970, a série de amistosos entre atletas americanos e chineses que sinalizou uma aproximação entre os dois países depois de anos de distanciamento.

No Parque do Templo Celeste você não vai ver Liu ou os outros de fone de ouvido: o exercício é um fenômeno social entre os idosos chineses. Avós se reúnem no fim da tarde para dançar, e os homens conversam enquanto se revezam nas barras paralelas. O espaço privado é uma raridade nas grandes cidades, e os apartamentos apertados levam jovens e velhos para as ruas, estacionamentos e parques. Todo centímetro quadrado de espaço público é aproveitado.

Os equipamentos que aparecem no vídeo são encontrados em praticamente todos os bairros da cidade. São itens simples, mas suficientes para um regime básico de exercícios. As barras são usadas para movimentos acrobáticos, mas a crença tradicional chinesa do equilíbrio do qi (“força da vida”) também leva muitos atletas de idade a simplesmente ficar parados, massageando ou golpeando seus membros.

temple of heaven bar spin

As barras no Temple of Heaven Park ajudam eles a fazer 'acrobacias'.

Um personal trainer pode questionar a ciência, mas é difícil duvidar dos resultados: apesar do grande número de fumantes, da poluição sufocante e de terríveis escândalos de contaminação de comida, a China vai bem nos rankings de expectativa de vida quando comparada com outros países de renda média-alta. A expectativa de vida dos chineses é de 75,2 anos, só 3,5 anos menos que a dos Estados Unidos, apenas de o PIB chinês ser cerca de um oitavo em relação ao americano.

O que as estatísticas não mostram é o astral que emana desses templos de saúde pública nos parques chineses. Barras de metal, concreto e um pouco de tempo livre são a fundação dessas comunidades -- com certeza muito melhor que um asilo.

Isso é algo para ser lembrado da próxima vez que você estiver ajeitando seu medidor de frequência cardíaca, conectado por Bluetooth com seu iPhone, ou quando você estiver dentro do carro a caminho da academia, para fazer esteira enquanto assiste uma série no iPad. Dá para fazer muito mais com muito menos – como algum chinês deve estar fazendo neste exato momento.

Vídeo editado por Eva Hill.