NOTÍCIAS
16/09/2014 19:24 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Mundial de Vôlei: Brasil perde da Polônia e tem classificação à semifinal ameaçada

Divulgação / FIVB

Foram nove vitórias e uma campanha praticamente irretocável nas duas primeiras fase do Campeonato Mundial de Vôlei. Mas de nada adiantaram esses resultados para a seleção brasileira masculina. Nesta terça-feira, a derrota por 3 sets a 2 para a Polônia (22/25, 25/22, 14/25, 25/18 e 17/15), em Lodz, obriga o Brasil vencer a Rússia por 3 a 0 ou 3 a 1, na quarta, se quiser chegar à semifinal sem depender de outro resultado.

A seleção brasileira, vale lembrar, foi prejudicada por uma mudança sem explicação no regulamento. Cada um dos dois triangulares desta terceira fase deveria ser formada por um primeiro, um segundo e um terceiro colocados da segunda fase. Mas o sorteio da chave jogou Polônia e Rússia, que foram segundos colocados, junto com o Brasil (que foi primeiro).

Além disso, foi alterado o calendário para que a Polônia, dona da casa, se tornasse cabeça de chave. Por isso, o Brasil, que jogou sério contra a Rússia na última rodada da segunda fase, para ficar em primeiro e jogar terça e quinta, perdeu esse dia de folga. Volta à quadra já na quarta, novamente em Lodz, pressionado.

Como a derrota foi por 3 a 2, o Brasil somou um ponto e a Polônia ganhou dois. Se vencer a Rússia por 3 a 1 ou 3 a 2, a seleção brasileira vai a quarto e não pode mais ser alcançada pelos russos. Porém, um 3 a 2 para o Brasil deixaria a equipe nas mãos de Rússia e Polônia, que se enfrentam na quinta.

O JOGO - O início da partida indicava um cenário favorável para os comandados de Bernardinho. Sem Murilo (machucado) e Wallace (ainda se recuperando de uma torção no tornozelo, no banco), Brasil abriu 14/9 e encaminhou a vitória no primeiro set. Por alguns minutos, porém, tudo deu errado para a seleção brasileira. Com Vissotto errando bastante e a moral polonesa subindo, os donos da casa viraram para 21/18 e fecharam em 25/22.

A lógica indicaria que Bernardinho deveria tirar Wallace do banco e colocá-lo no lugar de Vissotto. Mas o treinador preferiu manter o time escalado de início e mostrou estar certo. No segundo set o Brasil cresceu de produção, ficou na frente do placar o tempo todo e venceu por 25/22.

Foi o substituto de Murilo, porém, que foi determinante no terceiro set. Lipe foi bem no saque, praticamente perfeito no ataque, e comandou um passeio que virou a partida para o Brasil com 25/14 no placar.

O quarto set foi equilibrado até 12/12. Depois, a Polônia se empolgou empurrada pela torcida e fechou em 25/18, parando o Brasil no bloqueio. Depois, no quinto e decisivo set, novamente os poloneses começaram melhor, chegando a fazer 7/2. A seleção conseguiu a reação e a igualou em 8/8 quando o polonês Kubiak discutiu na rede com Wallace e levou o cartão vermelho.

Dali em diante, o jogo foi emoção pura, com os dois times se alternando na liderança do placar. Na última bola, quando a Polônia vencia por 16/15, o ataque foi para fora e o árbitro deu ponto para o Brasil. Os donos da casa pediram revisão do lance por vídeo e a imagem em câmera lenta mostrou leve toque na ponta do dedo de Sidão, no bloqueio. Era o ponto para fechar o jogo e deixar Bernardinho revoltado.