NOTÍCIAS
12/09/2014 11:55 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:03 -02

Exército do Paquistão prende dez acusados de participar do atentado contra Malala Yousafzai em 2012

Christopher Furlong / Getty Images

O Exército do Paquistão anunciou nesta sexta-feira (12) que dez homens foram presos acusados de atirar em MalalaYousafzai.

A ativista foi ferida em outubro de 2012, em um ataque reivindicado por militantes do Taliban paquistanês. Ela foi baleada por causa de sua campanha contra os esforços do Taliban para negar educação às meninas.

Até hoje, dois anos após o ataque, ninguém havia sido preso. Segundo a rede Al Jazeera, além da ativista, o grupo tinha mais 22 alvos para ataques, todos ordenados pelo líder do Taliban, Maulana Fazlullah.

Malala, que foi baleada no pescoço e na cabeça enquanto saía da escola, sobreviveu e foi levada de avião ao Reino Unido para o tratamento.

A jovem se tornou um símbolo da luta contra os militantes que atuam em áreas tribais no noroeste do Paquistão. Além dela, mais duas estudantes ficaram feridas no ataque.

Malala ganhou um prêmio de direitos humanos da União Europeia e foi indicada para o Prêmio Nobel da Paz no ano passado.

Atualmente, a jovem vive no Reino Unido e não pode voltar ao Paquistão por ameças de morte direcionadas à ela e sua família.

Com informações da Reuters