NOTÍCIAS
05/09/2014 20:25 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, entrega nomes de mais de 60 políticos envolvidos com corrupção

Estadão Conteúdo

Deputados federais, senadores, governadores e até um ministro podem estar envolvidos em um mega esquema de corrupção na Petrobras. Estadão diz que são 32 parlamentares. Veja fala em 35 nomes de políticos. Já a Folha, em 62.

Preso na sede da Polícia Federal em Curitiba (PR), o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, é quem revelou os nomes para colaborar com a justiça. Segundo o Estadão, ele terá a pena drasticamente reduzida e ele deve "ficar um ano usando tornozeleira eletrônica, em casa, no Rio, sem poder sair na rua". Paulo foi preso na Operação Lava-jato.

Segundo a revista Veja, que chega às bancas neste sábado (6), "três governadores, seis senadores, um ministro de Estado e pelo menos 25 deputados" teriam embolsado dinheiro roubado da estatal.

O texto continua depois da imagem

paulo veja

Já segundo o o site da Folha, o ex-diretor abriu ainda mais a boca, e seriam nada menos que 62 nomes: 12 senadores, 49 deputados federais e até um governador. Eles teriam recebido 3% dos valores dos contratos da estatal entre 2004 e 2012.

Ainda segundo a Veja, Paulo conta detalhes do esquema que obrigava todas as empresas que prestaram serviço para Petrobras a contribuir para o caixa dois.

Diferente de Veja e Folha que não falaram os nomes, o Estadão garantiu que o Renan Calheiros, presidente do Senado, está envolvido no esquema.

Continue lendo sobre o caso

- Conheça Nelma Kodama, a doleira que escondeu 200 mil euros na calcinha

- Ex-diretor da Petrobras é um dos 46 indiciados por crime de quadrilha e lavagem de dinheiro