NOTÍCIAS
03/09/2014 20:02 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Pesquisa Datafolha aponta que Marina parou de crescer, mas ainda vence no segundo turno

MÁRCIO FERNANDES/ESTADÃO CONTEÚDO

Pouco mais de uma hora após a pesquisa Ibope sobre a campanha presidencial, o Instituto Datafolha divulgou na noite desta quarta-feira (3) o seu levantamento mais recente da disputa pelo Palácio do Planalto. E o cenário mostra mais uma vez um empate técnico entre Marina Silva (PSB) e Dilma Rousseff (PT). Como mostravam os dados anteriores, a peesebista venceria no segundo turno.

Falando em primeiro turno, Dilma aparece com 35% - um a mais do que na pesquisa da semana passada. Já Marina tem os mesmos 34%. Contudo, a margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, o que configura um empate técnico mais uma vez. A falta de um novo crescimento pode significar que a ex-senadora teria atingido o seu teto máximo, tese defendida por adversários.

Em um segundo turno entre Dilma e Marina, a candidata do PSB venceria a presidente por 48% contra 41%. Os números divergem dos anteriores (50% a 40% a favor de Marina), mostrando que a diferença entre as duas na reta final caiu. Uma nova ascendência da petista, já apontada hoje pelo Ibope, é detectada também pelo Datafolha.

Se há alguém que deve se preocupar é Aécio Neves (PSDB). Ele aparece com 14% nesta pesquisa, contra 15% do Datafolha da semana passada. Tecnicamente, o senador mineiro nem subiu, nem desceu. O instituto realizou pela primeira vez uma simulação sem Dilma no segundo turno, no qual o tucano perderia para Marina por 56% a 28%. Aécio perderia para Dilma por uma margem menor: 49% a 38%.

O levantamento ouviu 10.054 eleitores em 361 municípios, entre segunda-feira (1º) e esta quarta-feira (3). O nível de confiança é de 95%, o que significa dizer que, em cada 100 pesquisas com o mesmo método, os resultados seriam os mesmos em 95 ocasiões. O registro da pesquisa no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é BR-00517/2014.

LEIA TAMBÉM

- Datafolha: Marina avança sobre Dilma entre jovens, evangélicos e os que possuem ensino superior

- Dilma recupera fôlego, Marina avança e Aécio acentua queda na disputa presidencial, segundo Ibope