NOTÍCIAS
03/09/2014 15:37 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

'Malufar': ex-prefeito de São Paulo, Paulo Maluf vira verbo em relatório de ONG internacional

VANESSA CARVALHO/ ESTADÃO CONTEÚDO

“Tendo recebido US$ 344 milhões em propinas em seus quatro anos como prefeito de São Paulo, Maluf tem a honra duvidosa de cunhar um novo verbo: malufar, ou roubar dinheiro público”.

É dessa forma nada sutil que o ex-prefeito de São Paulo e atual deputado federal, Paulo Maluf, é descrito pela Transparência Internacional, ONG baseada na Alemanha que se dedica a lutar contra a corrupção.

A organização lançou nesta terça-feira (2), uma campanha na Suíça como parte de um esforço para desmascarar a corrupção praticada por políticos e empresários. Maluf é um dos cases citados pela campanha.

maluf ong

“Longe dos contribuintes que o elegeram, Maluf comprou relógios de marca e joias em casas de leilão em Nova York”, diz o texto.

O texto - intitulado Sr. Propina - diz ainda que parte do dinheiro foi movimentada em paraísos ficais e que remessas foram enviadas de volta para o Brasil, para financiar suas campanhas.

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo indeferiu nesta segunda-feira o pedido de registro da candidatura do ex-prefeito, que busca a reeleição para deputado federal. A Corte eleitoral aplicou a Lei da Ficha Limpa para barrar a candidatura de Maluf.

Procurada pela reportagem, a assessoria do deputado afirmou que as declarações são “inoportunas e mentirosas”.

“[Maluf] fez uma administração transparente nos cargos que ocupou e suas obras ai estão, beneficiando a cidade e o estado de São Paulo. Além disso, suas contas sempre foram aprovadas pelos tribunais de conta do estado e do município.”