NOTÍCIAS
02/09/2014 14:39 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Estado Islâmico decapita jornalista americano Steven Sotloff

Reprodução/Twitter

O Estado Islâmico, grupo extremista que atua no Iraque e na Síria, divulgou nesta terça (2) um vídeo da decapitação de Steven Sotloff, 31, jornalista americano.

O conteúdo foi divulgado com o nome de "A Second Message to America".

No vídeo, o jornalista aparece com trajes alaranjados, de joelhos em uma paisagem desértica.

Antes de ser decapitado, ele é obrigado a dizer que "paga o preço da política de Obama com sua vida".

A informação foi divulgada no Twitter do SITE, grupo que rastreia a atividade de organizações terroristas, e confirmada por vários veículos internacionais.

O Departamento de Estado americano informou que irá trabalhar "o mais rápido possível" para confirmar a autenticidade do material.

Não se sabe se o homem que matou Sotloff é o mesmo que executouJames Foley, outro jornalista americano que foi morto pelo Estado Islâmico no dia 19 de agosto.

Ele diz, antes de matar o jornalista, "eu voltei, Obama, e voltei por causa da sua política externa arrogante em relação ao Estado Islâmico ".

"Enquanto seus misseis continuarem a atingir nossa gente, nossa faca vai continuar a atingir o pescoço de seu povo", ameaça.

Outro refém do grupo, o britânico David Haines é mostrado no vídeo, e ameaçado de morte. Segundo o New York Times, pelo menos dois americanos são mantidos reféns pelo grupo.

Sotloff desapareceu na Síria em agosto de 2013. Ele trabalhava como freelancer para as revistas Time e Foreign Policy.

Seu desaparecimento, no entanto, só foi noticiado há duas semanas, quando ele apareceu no vídeo da execução de Foley.

A editora da Time, Nancy Gibbs, emitiu um comunicado sobre a morte do jornalista.

"Estamos chocados e profundamente entristecidos pela notícia da morte de Steven Sotloff. Ele foi um grande colaborador da Time e outros veículos noticiosos, e deu sua vida para que os leitores tivessem acesso à informação desde um dos lugares mais perigosos do mundo. Nosso pensamentos e orações estão com ele e com sua família".

Na semana passada, a mãe de Sotloff, Shirley Sotloff, gravou um vídeo se dirigindo ao líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, pedindo que seu filho fosse libertado e afirmando ele não tinha controle sobre as ações do governo Obama.

Por meio de seu advogado, a família do jornalista disse que não irá se manifestar.