NOTÍCIAS
31/08/2014 12:31 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Programa do governo de Aécio Neves é investigado em Minas Gerais, diz Folha

ALFREDO RISK/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Está sob investigação do Ministério Público Estadual de Minas Gerais o programa Poupança Jovem, criado em 2007 durante a gestão de Aécio como governador. As informações são da Folha de S.Paulo de hoje.

O Poupança Jovem destina uma conta bancária no valor de R$ 3 mil a alunos da rede pública que, ao final do ensino médio, tenham cumprido requisitos como frequência nas aulas e participação em atividades extracurriculares. O programa está presente em nove das 853 cidades do estado. O MPE suspeita de danos aos cofres públicos e enriquecimento ilícito em um convênio firmado com o Instituto de Cooperação e Educação ao Desenvolvimento (Inced), entidade que coordenou ações do Poupança Jovem em Governador Valadares, Esmeraldas, Ibirité e Ribeirão das Neves.

O Inced subcontratou outras empresas que forneciam aos alunos alguns serviços como aulas de inglês e informática, além de transporte e alimentação. De acordo com a Promotoria, em uma dessas subcontratações, houve licitação dirigida — a empresa que apresentou o melhor preço não foi habilitada no processo.

O instituto, que recebeu do governo de Minas R$ 15 milhões nos dois primeiros anos do programa e, hoje, não atua mais no Poupança Jovem, nega irregularidades. O governo de Minas afirmou não ter conhecimento da investigação.

Nos dois primeiros anos do programa, de acordo com parecer incluído no inquérito do Ministério Público, o governo de Minas repassou ao Inced R$ 15 milhões para executar ações do programa. O candidato Aécio Neves, que usa o programa como bandeira de governo e afirma querer implementá-lo em todo o país, não se manifestou, afirmando que se trata de um assunto do Estado.

A investigação do MPE foi aberta em 2009 e ainda não tem conclusão.