NOTÍCIAS
27/08/2014 19:44 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:54 -02

Arqueólogos descobrem 15 monumentos enterrados em torno de Stonehenge

Steve Allen via Getty Images

O mistério em torno de Stonehenge acaba de ficar ainda mais profundo -- literalmente. Um estudo inédito do Instituto Ludwig Boltzmann sugere que 15 monumentos -- poços, calhas, tinas, tumbas -- do neolítico estão enterrados embaixo do círculo de pedras empilhadas e em seus arredores.

Para o estudo, pesquisadores utilizaram uma série de técnicas não-intrusivas, como um radar capaz de penetrar o solo e escaneamento 3d a laser para criar um mapa detalhado do subsolo de toda a área em um raio de cerca de 6 quilômetros.

Conhecido como "The Stonehenge Hidden Landscape Project" (algo como Projeto Paisagem Oculta de Stonehenge), o trabalho, que já dura quatro anos, sugere que havia muito mais coisas acontecendo naquela região do que sonhava nossa vã filosofia.

Para Vincent Gaffney, arqueólogo que faz parte do grupo de pesquisa, esses achados sugerem que as atividades em torno do monumento foram muito mais intensas do que se acreditava.

"Temos a ideia de que pouquíssimas pessoas acessavam esta região. Mas talvez houvesse sacerdotes, grandes homens dentro de Stonehenge fazendo procissões nas avenidas... Fazendo algo extremamente misterioso", disse Gaffney à revista Smithsonian.

A passagem e os outros novos monumentos provocaram uma "transformação total" na visão dos arqueologistas sobre a área, disse Gaggney. Ainda assim, "até que cavemos buracos, simplesmente não temos como saber o que existe ali".

A nova pesquisa se baseia em descobertas de outubro que indicavam que a área em torno do Stonehenge é a mais antiga região continuamente ocupada da Grã-Bretanha. Os cientistas por trás da pesquisa disseram a ocupação na região pode ter começado a partir de 8820 a.C.