NOTÍCIAS
26/08/2014 21:05 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:53 -02

Pesquisa Ibope aponta que Garotinho seria eleito em todos os cenários de 2º turno

Fotomontagem/Estadão Conteúdo

Se as eleições fossem hoje, Anthony Garotinho (PR) seria governador do Rio de Janeiro novamente. É o que aponta a pesquisa Ibope divulgada nesta terça (26) pelo G1.

Líder isolado na disputa, Garotinho cresceu sete pontos percentuais desde o primeiro levantamento, realizado em 30 de julho. Cerca de um mês após a definição oficial dos candidatos, 28% dos eleitores fluminenses o querem de volta no Palácio Laranjeiras.

O marido de Rosinha conseguiu diminuir sua rejeição em quase 10 pontos. Caiu de 44%, no último dia 30, para 35%. Mesmo assim, ainda é o mais rejeitado.

O governador Pezão (PMDB), candidato à reeleição, cresceu de 15% para 18% e ultrapassou Marcelo Crivella (PRB). O senador manteve os 16% da última pesquisa. Como a margem de erro é de 3 pontos para mais e para menos, os candidatos estão tecnicamente empatados.

O candidato do PT Lindberg Farias teve 12% da preferência dos entrevistados, ficando em 4º lugar.

Veja os números para pesquisa estimulada:

Anthony Garotinho (PR) - 28%

Luiz Fernando Pezão (PMDB) - 18%

marcelo Crivella (PRB) - 16%

Lindberg Farias (PT)

Tarcísio Motta (PSOL) - 3%

Dayse Oliveira (PSTU) - 1%

Ney Nunes (PCB) - 1%

A mudança no quadro eleitoral deve-se, principalmente, à diminuição no número de brancos ou nulos, que caiu de 21% para 15% e da quantidade de eleitores que não sabiam em quem iriam votar, que caiu de 12% para 6%.

Segundo turno

No segundo turno, a disputa seria mais acirrada, mas Garotinho (PR) venceria em todos os cenários mais prováveis.

No primeiro, o líder das pesquisas teria 34% das intenções de voto, e Crivella (PRB), 33%. 27% dos fluminenses votariam branco ou nulo.

No segundo, Garotinho ficaria com 38% e Pezão (PMDB), 31%. 25% do eleitorado votaria branco ou nulo.

A pesquisa foi realizada entre 23 e 25 de agosto, com 1.204 entrevistados. A margem de erro é de três pontos para mais e para menos.