NOTÍCIAS
22/08/2014 10:04 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Deputada Luiza Erundina assume coordenação da campanha de Marina Silva à Presidência da República

Montagem / Estadão Conteúdo

Após a saída de Carlos Siqueira (PSB) da coordenação da campanha de Marina Silva à Presidência da República, a deputada Luiza Erundina (PSB) assumiu o posto. Walter Feldman (PSB) será o coordenador-adjunto.

A escolha de Erundina foi feita pelo presidente do PSB, Roberto Amaral, e anunciada na noite da quinta-feira (21). A parlamentar chegou a ser cotada para ser vice de Marina - e mostrou-se disposta a aceitar o cargo - antes do nome do deputado Beto Albuquerquer ser anunciado.

O convite de Marina a seu assessor pessoal e porta-voz da Rede Sustentabilidade, deputado Walter Feldman, a entrar no comando da campanha causou a renúncia do primeiro-secretário do PSB, Carlos Siqueira na quinta-feira (21) do cargo.

Ele acusou a ex-ministra, que assumiu oficialmente a disputa ao Planalto, de querer se apropriar do partido e de não ser herdeira do legado de Eduardo Campos, morto em acidente aéreo no dia 13 de agosto. Siqueira dirigiu duras críticas à Marina e disse que ela era hóspede na legenda. "Quando se está em uma instituição que é a hospedeira, ela não pode mandar nessa instituição. Marina que vá mandar na Rede dela. No PSB manda o PSB", de acordo com o jornal O Estado de S. Paulo.

Milton Coelho (PSB), coordenador de mobilização e articulação também deixou o comando da campanha, alegando que seu compromisso era com Campos. Tanto ele quanto Siqueira eram próximos do ex-governador. Henrique Costa, economista e amigo de Campos também anunciou que deixara a coordenação.

Luiza Erundina entrou no PSB após sair do Partido dos Trabalhadores, onde Marina iniciou sua carreira política. A parlamentar é uma das integrantes mais à esquerda do PSB. A atual deputada federal e ex-prefeita de São Paulo tem 77 anos.

Segundo a Folha de S. Paulo, a parlamentar é próxima a Marina, tendo sido convidada pela es-ministra para participar de seu ato de filiação ao PSB, em outro de 2013, após o registro da Rede ter sido negado.

LEIA MAIS

- ‘Desentendimento' cria primeiro incêndio após oficialização de Marina Silva como candidata do PSB à Presidência

- Marina Silva é oficializada como a substituta de Eduardo Campos na candidatura do PSB ao Planalto