NOTÍCIAS
19/08/2014 15:18 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Nanicos à esquerda e à direita mandam recado para eleitorado na estreia da propaganda na TV

ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO CONTEÚDO

Os candidatos à Presidência da República, advindos de partidos nanicos, também deram o pontapé inicial em suas campanhas na televisão nesta terça-feira (19). Mais à esquerda ou mais à direita no espectro político, eles mandaram seu recado para o respectivo eleitorado.

Pastor Everaldo (PSC)

O programa dele começou com a declaração de apoio do pastor Silas Malafaia, liderança expressiva entre os evangélicos.

"Defendo a família como está na Constituição Brasileira", diz, em referência à união de homem e mulher como base da sociedade no País.

Pastor Everaldo disse que é contra a legalização das drogas e prometeu acabar com a "inversão de valores", em que o "cidadão de bem" está preso dentro de casa e o bandido está solto nas ruas.

Mauro Iasi (PCB)

O candidato comunista afirmou que o problema do País é o capitalismo.

Ele prometeu construir o poder popular a caminho do socialismo.

Zé Maria (PSTU)

O programa dele abriu com a imagem de outros presidenciáveis: Dilma Rousseff, ao lado de José Sarney, e Marina Silva - a possível candidato pelo PSB -, também ao lado do senador eleito pelo Amapá.

O candidato disse que vai enfrentar banqueiros e empresários e prometeu estatizar os bancos.

Levy Fidelix (PRTB)

Declarou que vai enfrentar esta "época de incertezas", em que mais de 50 mil pessoas são assassinadas por ano.

Criticou a importação de médicos cubanos, ao argumentar como está ruim a qualidade da saúde pública no Brasil.

Eymael (PSDC)

Lamentou a atual prestação de serviços públicos no País.

Condenou "afrontas à Constituição", "saúde pública desumana" e "política externa ideológica" do governo Dilma.

Rui Costa Pimenta (PCO)

Criticou o cenário que considera de desrespeito aos direitos dos trabalhadores e do povo.

Exemplificou que jovens estão sendo presos por participar de manifestações - caso de Fábio Hideki Harano, cuja imagem foi exibida no programa - e que greves são proibidas pela Justiça.

Eduardo Jorge (PV)

O programa dele exibiu apenas uma mensagem de luto pela perda de Eduardo Campos, presidenciável morto em acidente aéreo na semana passada.

Luciana Genro (PSOL)

O músico e ativista Marcelo Yuka, ex-Rappa, apresentou a candidata à Presidência pelo PSOL. "Eu fecho com Luciana Genro", disse.

A advogada gaúcha disse que vai enfrentar os "interesses da minoria privilegiada".