NOTÍCIAS

Populares gritam "Fora Dilma, agora é Marina" em enterro de Eduardo Campos

17/08/2014 18:42 BRT | Atualizado 26/01/2017 21:52 BRST
VALTER PONTES/COPERPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Enquanto aguardam a chegada do caixão de Eduardo Campos ao jazigo da família no cemitério de Santo Amaro, no Recife, um grupo de populares entoava gritos contra a presidente Dilma Rousseff e pedindo que a viúva Renata Campos integre a chapa do PSB à Presidência da República, junto com Marina Silva.

"Fora Dilma, agora é Marina" e "Marina e Renata" eram gritos ouvidos dentro de cemitério. Militantes do PSB carregam bandeiras do partido e camisetas com a frase "não vamos desistir do Brasil", dita por Eduardo Campos na última terça-feira, 12, em entrevista no Jornal Nacional, da TV Globo. Campos, candidato do PSB à Presidência da República, morreu na última quarta-feira, 13, em um acidente aéreo em Santos, no litoral paulista.

Políticos acompanham o velório de Eduardo Campos

Também foram espalhadas faixas por toda a cidade do Recife, confeccionadas pelo PSB, dizendo: "seus ideais permanecem vivos em cada um de nós". Faixas e camisetas também tinha a foto do presidenciável, com data de nascimento e morte.

O candidato do PSB ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara, colocou caminhões de som no trajeto percorrido pelo cortejo fúnebre. Foram acionados os jingles da campanha de Eduardo Campos e Marina Silva; além de jingles de campanhas anteriores de Campos.

Não há impedimentos legais para que a viúva de Eduardo Campos dispute a eleição presidencial deste ano na chapa que era encabeçada pelo marido morto na quarta-feira, 13, em acidente aéreo, como informou o jornal O Estado de São Paulo.