COMPORTAMENTO
11/08/2014 21:02 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:47 -02

Documentário sobre leilão de virgindade será exibido no NYC Film Festival

Reprodução/Facebook/VirginsWanted

Nada desperta tanta controvérsia quanto um filme sobre um homem e uma mulher que leiloam sua virgindade.

Com estreia prevista para 14 de agosto, durante o Chain NYC Film Festival, Virgins Wanted ("Procuram-se virgens", em tradução livre) é um documentário que supostamente conta a verdadeira história do que aconteceu em novembro de 2012, quando a brasileira Catarina Migliorini e o australiano Alex Stepanov tentaram vender os direitos para a primeira experiência sexual de suas vidas.

O lançamento do filme marca o fim de um esforço de seis anos para o cineasta Justin Sisely, que organizou o leilão. No processo, ele descobriu que leiloar a virgindade de uma pessoa não é algo fácil de fazer. "As mulheres que querem leiloar a virgindade veem isso como uma maneira rápida e fácil de fazer um monte de dinheiro", Sisely disse ao The Huffington Post. "No entanto, este não é o caso. Levei quase três anos para encontrar autores de lances dispostos a pagar grandes quantias de dinheiro pela virgindade de uma menina."

Quando Sisely não estava lutando com problemas de visto de Migliorini, ele teve de lidar com ameaças legais da Justiça brasileira, que o ameaçou com acusações de tráfico de sexo, se Migliorini seguisse com o "negócio".

Migliorini recebeu uma proposta vencedora de 780 mil dólares pela virgindade. O autor do lance vencedor é um homem japonês conhecido como Natsu. Stepanov, por outro lado, conseguiu 2,6 mil dólares de uma mulher australiana de 43 anos chamada Kasandra Darlinghurst. (A Stepanov foi inicialmente oferecido o valor de 3 mil dólares, que ele recusou ao saber que o autor do lance era do sexo masculino.)

No filme, Darlinghurst explica que ela decidiu comprar a virgindade de Stepanov mais por pena do que por luxúria. "Eu só sinto que ele não deveria perder a virgindade apenas por dinheiro", disse. "Ele deveria perdê-la porque é realmente o que deseja, seja em um lance casual ou dentro de um relacionamento."

A versão mostrada no festival será parcial: quatro dos seis episódios do longa. Sisely disse que a série está sendo comprada para as redes de televisão de todo o mundo.

Quando assistiu ao documentário pela primeira vez, o diretor do Chain NYC Film Festival, Kirk Gostkowski, não estava familiarizado com o controverso leilão de virgindade promovido por Sisely. "Na verdade, eu pensei que era uma comédia romântica", disse. "Mas fiquei impressionado. É extremamente fascinante. Se as pessoas neste filme estão atuando, elas merecem o Oscar."

(18+) Catarina Migliorini

O Huffington Post não viu o filme completo, mas o resumo no site do festival sugere que Stepanov inicialmente desenvolveu uma paixão por Migliorini e tentou convencê-la a vender para ele sua virgindade e ter um romance real. Em vez disso, Migliorini preferiu continuar com o leilão.

Cenas-chave do filme giram em torno do primeiro encontro entre Migliorini e Natsu. Ela tem dito por muito tempo que nenhum sexo ocorreu — inclusive, já afirmou anteriormente que decidira não perder a virgindade por meio do leilão, por se sentir enganada por Sisely. Também diz que, quando foi se encontrar com o misterioso Natsu em um restaurante em Sydney, na Austrália, ela encontrou alguém que não condizia com a descrição dada por Sisely. O cineasta, por sua vez, admite que ficou igualmente chocado quando o suposto milionário japonês apareceu.

"Natsu foi um choque para todos nós. Estávamos preparados para alguém diferente, como você pode ver no documentário", disse. "Apesar de Natsu, o destino de Catarina estava em suas próprias mãos. Catarina lidou com a situação extremamente mal, o que lhe custou muito."

Sisely não falou com Migliorini desde as filmagens concluídas, por volta do final de 2012. "Eu estou ansioso para veicular a série, para que as pessoas possam ver o que realmente aconteceu", disse ao HuffPost.

Desde o fim das filmagens, Migliorini tentou capitalizar sua fama no Brasil por meio da realização de um segundo leilão de sua virgindade. Não funcionou. Sisely diz que não está surpreso. "Catarina fez um monte de acusações falsas. Tornou-se evidente que ela não tem êxito em muitas coisas", disse. "Eu acho que as pessoas geralmente têm o que merecem."

Com Stepanov, por outro lado, Sisely tem um bom relacionamento. "Eu falo com Alex, ocasionalmente, para ver como ele está", disse. "Na última vez que falei com ele, estava trabalhando em hotelaria e vivendo por conta própria." Isso demonstra algo positivo na vida de Stepanov: ele supostamente concordou em vender sua virgindade como forma de combater a ansiedade social, que ele afirmava ser tão grave que o impediu de frequentar as aulas da faculdade. "Eu tentei me concentrar no projeto e ver o que ele me traria."

O site que Sisely criou para receber inscrições para o projeto continua a receber novas pessoas interessadas em leiloar a virgindade. O cineasta, contudo, não tem planos de permanecer no negócio de leilões de virgindade. "Vou combater o suicídio no meu próximo filme", disse.