NOTÍCIAS
07/08/2014 17:58 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Juiz sugere ‘evaporação de combustível' em despacho que libertou ativistas Fábio Hideki e Rafael Lusvargh em SP

Reprodução/Facebook

Em sua decisão, proferida nesta quinta-feira (7), o juiz Marcelo Matias Pereira sugeriu uma possível “evaporação de eventual conteúdo dos frascos” que estariam em posse dos ativistas Fábio Hideki Harano e Rafael Marques Lusvargh, libertados após passarem 46 dias presos em São Paulo. O magistrado, da 10ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), é o mesmo que classificou os ativistas como ‘esquerda caviar’ há seis dias, em outra decisão.

“Se o tempo transcorrido entre a apreensão do material e a realização da prova pericial levou a evaporação de eventual conteúdo dos frascos, é lógico que os peritos não terão como afirmar se os mesmos possuíam odor de gasolina ou outro combustível, os quais deixam resíduos que teriam sido facilmente detectáveis na prova pericial realizada, que concluiu pela inexistência dos mesmos”, diz Pereira em seu despacho.

O juiz comenta no documento que aceita a solicitação do Ministério Público de São Paulo pela soltura dos dois – o que também atende aos pedidos das defesas de Hideki e Lusvargh. Ele ainda cita “não haver notícias nos autos” de “quebra na cadeia de custódia” – que trata justamente daqueles que manusearam cronologicamente os artefatos que teriam sido encontrados com os ativistas (uma eventual quebra poderia sugerir adulteração dos objetos).

Pereira ainda afirma, em sua decisão, que “porte de objetos com odor característico de qualquer substância inflamável não é crime e não pode ser confundido com artefato explosivo/incendiário” e que “é forçoso concluir que a acusação restou de sobremaneira fragilizada”. Assim, não haveria justificativa para a manutenção das prisões.

Ambos agora passam a responder o processo em liberdade, enquanto ele corre na Justiça.

LEIA TAMBÉM

- Quando a ideologia solta ativistas no Rio e os mantêm presos em SP

- Fábio Hideki Harano: prisão de ativista pacífico completa um mês, revolta paulistanos e mantém alerta internacional

- Família de Fábio Hideki Harano descarta processar Estado de SP por prisão de ativista pacífico