NOTÍCIAS
06/08/2014 18:58 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Lançada há dez anos, sonda espacial Rosetta entra na órbita do cometa Churyumov (FOTOS)

Handout via Getty Images
IN SPACE - AUGUST 3: In this handout from the European Space Agency (ESA), the comet Comet 67P/Churyumov-Gerasimenko is seen in a photo taken by the Rosetta spacecraft with the OSIRIS narrow-angle camera August 3, 2014 in space. ESA's Rosetta spacecraft became the first to rendezvous with a comet and will follow it on the journey around the sun. (Photo by ESA/Rosetta/MPS for OSIRIS Team MPS/UPD/LAM/IAA/SSO/INTA/UPM/DASP/IDA via Getty Images)

Depois de uma viagem de 6 bilhões de quilômetros, a sonda europeia Rosetta finalmente chegou a seu destino: a órbita do cometa Churyumov Guerasimenko.

Pra quê tudo isso? Rosetta percorreu essa longa trajetória para ~pegar carona numa cauda de cometa~ e, assim, tentar decifrar como os planetas se formaram ao redor do Sol.

Isso porque o Churyumov, assim como todos os cometas, é feito de gelo e pedras que sobraram do processo de formação do Sistema Solar, que aconteceu há 4,6 bilhões de anos. Correntes científicas sugerem que a água chegou à Terra por causa dos cometas, por exemplo.

"Rosetta está lá para abrir um cofre com um tesouro que contém as chaves sobre o nascimento e a evolução do Sistema Solar e, potencialmente, da vida", explicou em uma entrevista coletiva Mark McCaughrean, conselheiro científico da ESA, como destacou reportagem da revista Exame.

Plunct, plact, zuuuum

Rosetta saiu da Guiana Francesa a caminho do Churyumov no dia 2 de março de 2004.

O corpo celeste fica "só" a 400 milhões de quilômetros de nosso planeta, mas a Rosetta precisou dar algumas voltinhas por Marte e pela Terra, entre 2005 e 2009, para pegar impulso na força gravitacional dos planetas.

Com isso, ela pôde viajar milhões de quilômetros com os motores desligados, em uma espécie de "banguela" espacial que durou de junho de 2011 a janeiro de 2014.

Por enquanto, Rosetta orbita a mais ou menos 100 quilômetros do Churyumov, em uma trajetória triangular.


Agora, o próximo passo é chegar bem pertinho do cometa e soltar um autômato em sua superfície. O Philae, robozinho do tamanho de uma geladeira, é recheado com instrumentos científicos. Sua missão é estudar a química do corpo celeste e enviar suas descobertas por meio de mensagens de rádio.


Isso deve acontecer no dia 11 de novembro. Enquanto isso, a sonda vai mandar fotos em alta definição do cometa. As primeiras imagens já começaram a chegar nesta quarta (6/8). Veja só:


Este vídeo produzido pela Agência Espacial Europeia mostra como será o balé de Rosetta em torno do Churyumov se tudo der certo. Se tudo der certo.