NOTÍCIAS
04/08/2014 09:18 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

PSDB mira Dilma por denúncia de fraude na CPI da Petrobras: 'É impossível que ela não soubesse'

Montagem/Estadão Conteúdo

Após a turbulência provocada na campanha de Aécio Neves pela revelação do aeroporto familiar construído por seu governo em Minas Gerais, a artilharia da corrida presidencial nesta semana vai se dirigir à presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição. Com a reportagem da revista Veja sobre fraude na CPI da Petrobras no Senado, o comitê do tucano quer passar a borracha nas últimas semanas e atacar o PT e o governo pela montagem da "farsa" denunciada pela revista.

De acordo com vídeo a que a publicação teve acesso, perguntas feitas pelos parlamentares da CPI, comandada por representantes da base aliada do governo Dilma, foram enviadas com antecedência para os depoentes, como o ex-presidente da Petrobras Sergio Gabrielli e a atual presidente, Graça Foster, e investigados, como o ex-diretor da estatal Nestor Cerveró.

O candidato a vice de Aécio, senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), foi escolhido para ser o principal porta-voz dos ataques ao governo e à Petrobras. "Vamos pedir providências já; o caso tem que ser investigado, e os responsáveis punidos", afirmou o líder do PSDB no Senado. A ideia, segundo a Folha, é apresentar às comissões de Ética do Senado e da Presidência da República representações contra Dilma, parlamentares, funcionários da Petrobras e do Senado.

Antes de ir à CPI, Cerveró sinalizou que estaria disposto a "desmentir a presidente [Dilma] se fosse convocado a depor no Congresso", de acordo com a Veja. Em março, Dilma disse que, como presidente do Conselho de Administração da Petrobras, avalizou a compra da refinaria Pasadena em 2006 por se basear em um documento "técnica e juridicamente falho". O relatório foi produzido por Cerveró. A aquisição de Pasadena provocou prejuízo milionário à estatal.

Segundo a Veja, Cerveró recebeu até media training (treinamento com assessores para falar em público) para que as respostas seguissem o "gabarito". Por isso, Aloysio Nunes engrossa com Dilma. "A presidente tem pelo menos responsabilidade moral neste caso. É impossível que não soubesse de nada", ataca.

Aloysio vai se reunir com representantes da assessoria jurídica do PSDB para tratar de todas as medidas legais que podem ser tomadas, além das representações em comissões de Ética.

“O Senado foi ultrajado por essa farsa. Imagina se isso acontecesse no Congresso dos Estados Unidos. Você acha que ficaria impune?”, esbraveja Aloysio.

As personagens da CPI da Petrobras