NOTÍCIAS
20/07/2014 18:55 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:42 -02

Por 3 sets a 1, Estados Unidos vence e Brasil fica com o vice da Liga Mundial de Vôlei

Paolo Bruno via Getty Images
FLORENCE, ITALY - JULY 20: Ricardo Lucarelli of Brazil spikes the ball as Matthew Anderson and David Lee of United States blocks during the FIVB World League Final Six match for the first place between United States and Brazil at Mandela Forum on July 20, 2014 in Florence, Italy. (Photo by Paolo Bruno/Getty Images for FIVB)

Ainda não foi desta vez que o Brasil conquistou o seu histórico décimo título da Liga Mundial. Batido pela Rússia na final do ano passado, desta vez a equipe nacional caiu diante dos Estados Unidos, que venceram por 3 sets a 1, com parciais 31/29, 21/25, 25/20 e 25/23, neste domingo, em Florença, na Itália, e conquistaram pela segunda vez a competição.

Essa foi apenas a terceira final de Liga Mundial jogada pelos norte-americanos, que anteriormente haviam ficado com o título em 2008 e com o vice-campeonato em 2012. Já os brasileiros, depois de atropelarem a Itália por 3 sets a 0 nas semifinais, pintavam como favoritos ao título, mas acabaram caindo em uma decisão no qual voltaram a repetir os erros que marcaram a instável campanha do país nesta edição da competição.

Com seis vitórias e seis derrotas na primeira fase, o Brasil só se classificou à fase final da Liga Mundial no duelo derradeiro do estágio inicial da competição, diante da Itália, e chegou a ser derrotado pelo Irã na última sexta-feira. Entretanto, superou a Rússia e assim avançou às semifinais.

Campeão da Liga Mundial em 1993, 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009 e 2010, o Brasil foi derrotado pela quinta vez na final do torneio - foi segundo colocado também em 1995, 2002, 2011 e 2013.

O JOGO

Sempre um rival complicado para o Brasil, a seleção dos Estados Unidos justificou essa fama já a partir do primeiro set do confronto deste domingo. Embora com um time cheio de jovens valores e sem os medalhões de tempos recentes, travou uma parcial muito equilibrada com os brasileiros.

O Brasil chegou a abrir 12 a 10 em um bloqueio de Lucão e depois 15 a 13 em ataque de Sidão, mas os norte-americanos não deixavam o time de Bernardinho deslanchar no placar e chegaram ao empate no 18 a 18. Depois disso, as disputas seguiram parelhas e os brasileiros tiveram um set point após um ponto de bloqueio de Sidão, mas os rivais se safaram e depois conseguiram fechar a parcial em 31 a 29 após Lucarelli ser bloqueado em um ataque.

O segundo set também foi equilibrado e os norte-americanos seguiram fortes, voltando a colocar pressão sobre o Brasil ao abrirem 13 a 11. Mas, com três pontos seguidos, sendo um deles em um ace de Lucão, o Brasil virou para 14 a 13 e, após boa passagem de Raphael pelo saque, deslanchou e abriu 20 a 15. No fim da parcial, os Estados Unidos esboçaram uma reação e ficaram dois pontos atrás no 22 a 20, mas em seguida os brasileiros fecharam em 25 a 21

O terceiro set também começou bem para os brasileiros, que de cara abriram 3 a 0. Entretanto, os norte-americanos reagiram, empataram e rapidamente começaram a se distanciar no placar. Se aproveitando de erros seguidos do time de Bernardinho, chegaram a fazer 18 a 10. Os brasileiros ainda descontaram a vantagem para quatro pontos no 23 a 19, mas os norte-americanos depois fecharam em 25 a 20.

No quarto set, o Brasil deu a impressão de que conseguiria forçar a disputa do tie-break ao abrir 14 a 11 com um ponto de Wallace. Entretanto, após novos erros dos brasileiros, os norte-americanos empataram em 14 a 14. A partir dali, os Estados Unidos retomaram a confiança e abriram 18 a 16, mas os brasileiros empataram em 19 a 19 em um bloqueio de Murilo e depois viraram para 20 a 19 em um ataque de Vissotto. Entretanto, os rivais não deixaram mais o Brasil desgarrar no placar e depois liquidaram o duelo em 25 a 23 com um ponto de ataque.

Wallace, com 16 acertos, e Lucão, com 14, foram os maiores pontuadores do Brasil no jogo, mas Sander e Anderson, respectivamente com 24 e 23, foram os maiores destaques ofensivos do confronto.