NOTÍCIAS
12/07/2014 21:24 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Polícia do Rio prende 19 suspeitos de vandalismo na véspera de protesto 'Não Vai Ter Final'

ESTEFAN RADOVICZ/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO

via:

Na véspera da final da Copa no Maracanã, 19 pessoas que participaram de manifestações de rua no Rio foram presas nestes sábado (12) sob a suspeita de terem cometido atos de vandalismo. O chefe da Polícia Civil, Fernando Veloso, e o responsável pela Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, Alessandro Thiers, foram responsáveis pela investigação que culminou com as prisões.

Entre os presos, está Elisa Quadros, conhecida como Sininho, ativista presa em Porto Alegre numa ação das polícias fluminense e gaúcha. As prisões foram em cumprimento a mandados expedidos pela 27ª Vara Criminal.

O grupo está na Cidade da Polícia, no Jacarezinho, espaço que abriga delegacias especializadas na sede da Copa. Com eles, segundo a polícia, foram apreendidos máscaras, explosivos e armas de fogo.

LEIA MAIS:

- 'Não Vai Ter Final': mais de dois mil confirmam participação em último ato contra a Copa do Mundo, no Rio

- Fábio Hideki Harano: prisão de ativista pacífico e denúncia de provas forjadas mobilizam redes

Na véspera da abertura da Copa, dia 11 de junho, dez pessoas que são presenças constantes em protestos foram convocados a depor e tiveram celulares e computadores apreendidos; entre elas, Sininho. A polícia cumpriu, então, 17 mandados de busca e apreensão.

A ação também foi da DRCI e foi considerada uma forma de intimidação dos manifestantes, por causa dos protestos antiCopa que haviam sido agendados.

Para este domingo (13), estão marcados quatro protestos, um perto do Maracanã e três na Tijuca, bairro vizinhos ao do estádio.