NOTÍCIAS
09/07/2014 16:48 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Em entrevista coletiva, Felipão e comissão técnica do Brasil "tentam explicar o inexplicável"

Estadão Conteúdo

"Não houve um deslize, um erro, no operacional nem na logística. Tudo foi perfeito. Só não funcionou o resultado do jogo contra a Alemanha”. Essa declaração de Carlos Alberto Parreira foi um resumo dos 49 minutos de entrevista não programada da comissão técnica do Brasil na Granja Comary, nessa quarta-feira.

Felipão e Parreira se revezaram no microfone e falaram sobre a preparação da Seleção Brasileira na Copa 2014, a derrota humilhante para a Alemanha e os próximos desafios. Ambos fizeram questão de ressaltar também suas conquistas pessoais. O treinador lembrou o título da Copa do Brasil com o Criciúma e o coordenador técnico frisou que todos os integrantes da comissão já foram campeões mundiais com o Brasil.

No final da coletiva, Parreira leu a carta de uma torcedora em apoio ao técnico da Seleção Brasileira. Rapidamente, foi criado um perfil "fake" de Dona Lucia no Twitter que já conta com diversos seguidores.

Veja alguns trechos da coletiva dessa quarta-feira.

Parreira - "O trabalho foi bem conduzido ao longo de um ano e meio."

Felipão - "A história tem de registrar que, depois de 2002, foi a primeira vez que chegamos à semifinal."

Felipão - "Nós temos um compromisso até o final do Mundial com a direção da CBF. Não vamos discutir (a continuidade na seleção) antes do jogo de sábado."

Felipão - "A pane também foi da comissão técnica?! Foi geral. Não tenho o que explicar, não vou justificar."

Felipão - "O trabalho que temos feito dentro da CBF é muito bom em relação às categorias jovens. (Alexandre) Gallo (coordenador das seleções de base) está trabalhando muito bem e está rodando o mundo atrás de jovens."

Parreira - "Ontem foi uma coisa atípica. Um tsunami. Não tem explicação. É explicar o inexplicável."

Felipão - "Esta equipe da Alemanha tem oito anos de preparação. Nós, um ano e meio. Vários atletas da Alemanha jogaram em Copas anteriormente. A experiência também faz diferença."

Felipão - "O presidente ( da CBF José Maria Marin) entrou no vestiário e comunicou a todos a confiança que tem em todo o grupo."

Felipão - "Se (o próximo adversário) for a Argentina, é um clássico muito importante com muita rivalidade. As características de jogo deles é diferente da Holanda. Nós vamos ver a condições dos jogadores e depois vamos, em grupo, definir se joga a equipe que perdeu ontem ou se há mudanças."

Felipão - "Jogar em casa, com o comportamento que os torcedores tiveram, foi bom. Ontem, o comportamento deles até o quinto gol foi incrível. Depois, externaram o que estavam sentindo. Normal."

Na próxima sexta-feira, 11 de julho, Felipão concede outra coletiva pra falar do jogo que vale o 3º lugar. Dessa vez, entrevista oficial e obrigatória da Fifa com duração de 52 minutos.