NOTÍCIAS
02/07/2014 17:03 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:23 -02

José Dirceu e Delúbio são transferidos de presídio da Papuda para centro semiaberto

ED FERREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, ambos condenados no processo do Mensalão, foram transferidos nesta quarta-feira (2) do Presídio da Papuda, no Distrito Federal, para o Centro de Progressão Penitenciária (CPP), local destinado a presos que têm autorização para trabalhar fora da prisão.

A medida foi autorizada pela juíza Leila Cury, da Vara de Execuções do Distrito Federal, após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) na semana passada que autorizou o benefício. O ex-deputado Valdemar Costa Neto também foi transferido.

Segundo o G1, Dirceu já começará a trabalhar na biblioteca do escritório de advocacia de José Gerardo Grossi, em Brasília, a partir desta quinta (amanhã).

Delúbio dará expediente na sede de Central Única dos Trabalhadores (CUT), onde já trabalhava antes de ter sua autorização de trabalho externo revogada pelo então presidente do STF, Joaquim Barbosa. Costa Neto deverá trabalhar na parte administrativa de um restaurante.

A juíza apenas deu cumprimento ao entendimento do Supremo que, na semana passada, autorizou o benefício para os condenados em regime semiaberto na Ação Penal 470, o processo do mensalão.

No início de maio, o então ministro Joaquim Barbosa negou a Dirceu o direito de trabalhar fora da prisão com o argumento de que ele ainda não havia cumprido um sexto da pena de 7 anos e 11 meses, com base no que diz a Lei de Execução Penal (LEP). Ele também determinou que Delúbio voltasse a cumprir sua pena em regime fechado.

As defesas dos dois petistas recorreram e, com o anúncio da aposentadoria de Barbosa do STF, cuja última sessão como ministro aconteceu no último dia 1º, o tribunal voltou atrás e aprovou o trabalho externo de Dirceu, Delúbio e Costa Neto.