NOTÍCIAS
01/07/2014 19:21 -03 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

20 anos do Real: Lula 'se enganou' ao não acreditar no plano, diz FHC

Getty Images
Former Brasilian President, Fernando Henrique Cardoso arrives for a press conference at Technological of Monterrey Institute in the framework of 'Regional Forum: Safety, Drug Policy and Arms Control' in Mexico City on March 7, 2013. The forum was organized by Commission on Drug Policy and former Presidents of Colombia, Cesar Gaviria and Ruth Dreifuss from Switzerland were invited, too. AFP PHOTO/ Yuri CORTEZ (Photo credit should read YURI CORTEZ/AFP/Getty Images)

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou, em gravação de áudio publicado no Facebook nesta terça-feira (1º de julho), que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva "se enganou tanto" ao ter sido "descrente" com o Plano Real que "depois se esforçou, quando presidente, para manter a moeda estável". No registro, divulgado na página que mantém na rede social, Fernando Henrique recorda a adoção da nova moeda, que entrou em vigor em 1º de julho de 1994 e completa duas décadas nesta terça-feira, 1º.

"Houve os descrentes. O presidente Lula dizia que o real não era um sonho, era um pesadelo; se enganou", afirmou. O ex-presidente tucano criticou também as atuais "dificuldades com a estabilização". "O povo todo está à espera de medidas que mantenham a moeda estável porque o povo aprendeu que a inflação, a carestia, é o seu pior inimigo", disse.De acordo com FHC, o Plano Real foi "fruto de um enorme esforço" de uma equipe econômica que ele comandava como ministro da Fazenda na gestão do ex-presidente Itamar Franco. "O País havia estado cansado da inflação, 20%, 30% ao mês. Não havia salário que fosse suficiente para fazer frente à carestia, ao aumento de preços", disse. O ex-presidente declarou na gravação que, quando a economia foi estabilizada, a inflação começou a cair imediatamente e houve uma diminuição da pobreza de 40% para 30%. "As pessoas podiam confiar que não precisavam sair correndo para fazer compra mal recebessem o salário, porque confiavam que a moeda poderia ser estável", prosseguiu."Graças a isso", acentuou, "houve a possibilidade de novas políticas sociais, de novas políticas econômicas". "Tão importante quanto (as novas políticas), reganhamos a crença no futuro do Brasil." Segundo FHC, há muito o que celebrar pelas duas décadas de real. "É por isso que, com emoção, eu me refiro a esses dias e volto a falar ao povo de Poços de Caldas, cidade na qual, pela primeira vez, senti a emoção de termos conseguido criar uma moeda nova, o real", acrescentou.O aniversário de 20 anos do Plano Real será lembrado nesta quarta-feira (2) no Palace Hotel, em Poços de Caldas, no sul de Minas Gerais. A moeda foi lançada no município pelo então presidente Itamar Franco e por FHC.