NOTÍCIAS
27/06/2014 16:12 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:46 -02

Copa 2014: Sob risco de vaia e xingamentos, Dilma vai entregar taça a seleção campeã na final no Maracanã

WILLIAM VOLCOV/BRAZIL PHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Mesmo sob risco de ser hostilizada pelo público, como aconteceu na abertura da Copa na Arena Corinthians, em São Paulo, a presidente Dilma Rousseff irá à final da Copa do Mundo 2014 para entregar a taça à seleção campeã.

A decisão da presidente foi anunciada pelo presidente da Fifa, Joseph Blatter, e pelo ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, durante entrevista nesta sexta-feira (27) no estádio do Maracanã, onde acontecerá o jogo da final, no Rio, em 13 de julho.

Os xingamentos contra Dilma em 12 de junho provocaram muita polêmica. Tanto a própria presidente, candidata à reeleição pelo PT, quanto os demais candidatos Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) e também o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reagiram ao fato.

No dia seguinte à abertura da Copa, Lula visitou Pernambuco com Dilma. Deu a ela uma rosa branca e culpou a elite e a imprensa pelos ataques. "Dilma, você foi no estádio ontem. Você viu que no estádio não tinha ninguém com a cara de pobre, a não ser você?", disse o ex-presidente em evento com Dilma em Pernambuco. "Não tinha ninguém pelo menos moreninho. Era a parte bonita da sociedade."

LEIA TAMBÉM

Machismo, Dilma e Copa do Mundo

Dilma, as vaias e a hermenêutica hipócrito-seletiva

Segundo o ministro Aldo Rebelo, a presença da chefe de Estado na final é algo que faz parte do protocolo da Copa do Mundo da Fifa: "A presidente vai cumprir o protocolo combinado. A decisão já estava tomada." Segundo Rebelo, Dilma não compareceu a outro jogos da Copa até agora porque "a agenda da presidente não permitiu".

Embora o ministro tenha negado que a presença de Dilma na final tenha sido posta em xeque pelos xingamentos da estreia, a sensação de que a Copa está correndo bem, sem protestos de maior magnitude ou problemas significativos de segurança e infra-estrutura, podem ter pesado na decisão anunciada nesta sexta-feira.

Assim como na abertura da Copa, Dilma não deverá discursar. Apenas entregará a taça ao capitão da seleção que vencer o torneio. A modelo brasileira Gisele Bünchen e o ex-jogador espanhol Carles Puyol, um dos campeões da Copa da África do Sul de 2010, levarão o trofeu até o estádio.