NOTÍCIAS
19/06/2014 20:44 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Nova York vai liberar uso medicinal da maconha: inalar ou comer será permitido, fumar não

North Cascades National Park/Flickr
One of the six marijuana fields discovered in North Cascades National Park Complex and eradicated on August 14, 2008. David Snyder for the NPS.
Por Edith Honan

NOVA YORK (Reuters) - O governador Andrew Cuomo e os legisladores de Nova York anunciaram um acordo nesta quinta-feira que permitirá o acesso limitado à maconha para uso medicinal e fará do Estado o 23º dos Estados Unidos a oferecer a droga para fins terapêuticos.

O programa, que irá proibir o fumo de maconha, mas permitirá que seja comida ou vaporizada, será regulamentado pelo Departamento de Saúde do Estado nos termos do acordo, e incluirá uma cláusula "infalível" que permitirá ao governador interromper o programa a qualquer momento, disse Cuomo em uma coletiva de imprensa em Albany, capital do Estado.

O plano ainda precisa ser aprovado pela legislatura do Estado.

"Eu sempre apoiei a ideia de que, se é possível obter benefícios médicos da maconha medicinal para um paciente em sofrimento, ela deve ser utilizada", afirmou o democrata Cuomo. "Minha hesitação sempre foi o risco. Este projeto de lei virtualmente elimina o risco".

De acordo com o plano, o Departamento de Saúde fornecerá licenças a cinco empresas privadas para a produção e distribuição de maconha através de estabelecimentos credenciados.

"A produção, fabricação e distribuição têm que acontecer dentro das fronteiras de Nova York", disse o doutor Howard Zucker, comissário de saúde interino do Estado, na coletiva de imprensa.

LEIA TAMBÉM

- O futuro da maconha legal nos EUA é promissor

Deputado prevê maconha legalizada nos EUA em 5 anos