NOTÍCIAS
16/06/2014 12:35 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Com quatro dias de Copa, imprensa internacional muda o tom e já se fala na melhor Copa da história

Stefano Rellandini/Reuters

Às vésperas da abertura da Copa do Mundo, os aeroportos brasileiros foram tomados por estrangeiros, alguns deles jornalistas que escreveram matérias falando sobre o caos do transporte público. Agora, com quatro dias de Copa, as críticas diminuíram, e a cobertura acalorada dos jogos ganhou espaço.

O Yahoo (da Inglaterra) chegou a dizer que muitos já estão sugerindo que a Copa no Brasil deve ser a melhor Copa da história do evento. “A Copa deste ano no Brasil tem o potencial de eclipsar as outras Copas memoráveis”, diz a matéria.

Leia também: Imprensa estrangeira critica brutalidade da polícia nos protestos

São apresentados seis motivos pelos quais a Copa 2014 seria a melhor Copa: número de gols (até o momento, o número de gols da Copa no Brasil tem o dobro de número de gols que a Copa na África do Sul tinha em quatro dias); os resultados surpreendentes (a exemplo da partida Holanda 5 x 1 Espanha e Costa Rica 3 x 1 Uruguai); o fato de que os jogadores-estrelas estão marcando (os que mais fizeram gols até agora foram Robben, Van Persie e Neymar); o fato de que é no Brasil (“lar espiritual do futebol”) e o fato de que “é o que todo mundo está falando”.

Já a rede BBC foi mais branda na posição, levando também em consideração fatores sociais. “O Brasil provou que estavam errados os críticos que diziam que o país não estava pronto para receber um evento desta magnitude? Sim e não”, diz a matéria.

Wyre Davis, correspondente da BBC no Brasil, elogiou os estádios, principalmente o de Manaus, cujas obras ele acompanhou, mas lembrou que o transporte público continua sendo um problema e que a população está insatisfeita. Ele também fala dos protestos reprimidos com violência no Rio de Janeiro e em São Paulo, sublinhando que a expectativa era a de que as manifestações fossem muito maiores.

“Os manifestantes são, sem dúvida, uma pequena minoria e, dado a determinação e os recursos do estado, a Copa do Mundo deve acontecer sem grandes problemas. (...) Ainda há um longo caminho adiante. Até lá, continuaremos curtindo o ótimo futebol nos maravilhosos - e financiados pelo estado - estádios e agradecer aos deuses do futebol por ser um espetáculo tão agradável assistir a 22 caras chutando um saco de vento”.