NOTÍCIAS
15/06/2014 13:22 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Papa promete que não rezará por seleção argentina durante a Copa

YASUYOSHI CHIBA via Getty Images
Pope Francis holds a scarf of Argentine football team San Lorenzo of which he is a fan, during his visit to the Sao Jeromino Emiliani church at the Varginha favela in Rio de Janeiro, on July 25, 2013. The Varginha favela is a community of 1,000 people which for decades was under the sway of narco-traffickers until it came under police control less than a year ago. The first Latin American and Jesuit pontiff arrived in Brazil mainly for the huge five-day Catholic gathering World Youth Day. AFP PHOTO / YASUYOSHI CHIBA (Photo credit should read YASUYOSHI CHIBA/AFP/Getty Images)

Ele recentemente renovou sua cidadania argentina e continua um membro do seu clube preferido de futebol de Buenos Aires, daqueles que carregam o cartão do San Lorenzo no bolso. Mas o papa Francisco assumiu neutralidade absoluta na Copa do Mundo.

Francisco lembrou, em uma entrevista ao jornal La Vanguardia, do pedido da presidente Dilma Rousseff de neutralidade na Copa durante uma visita dela ao Vaticano.

Com uma risada, Francisco disse: "os brasileiros pediram por neutralidade. Eu vou manter minha palavra porque Brasil e Argentina sempre são adversários".

Na quinta-feira, Francisco pediu aos fiéis que a Copa do Mundo seja um exemplo de solidariedade e espírito de equipe, e não uma exibição de racismo, individualismo e ganância.

O primeiro jogo da Argentina no Mundial acontece neste domingo, às 19h, contra a Bósnia-Herzegovina.