NOTÍCIAS
15/06/2014 20:59 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Argentina x Bósnia: Com gol de Messi, argentinos batem bósnios e fazem a festa dos "hermanos" no Maracanã

ASSOCIATED PRESS
Argentina's Lionel Messi celebrates scoring his side's second goal during the group F World Cup soccer match between Argentina and Bosnia at the Maracana Stadium in Rio de Janeiro, Brazil, Sunday, June 15, 2014. (AP Photo/Victor R. Caivano)

O refrão da famosa música do Ultraje à Rigor serviu perfeitamente para ilustrar o que o Rio de Janeiro presenciou nos últimos dias. "Nós vamos invadir sua praia", prometiam os argentinos, antes do início da Copa. E eles cumpriram a promessa: uma multidão de "hermanos" fez do Rio uma nova Buenos Aires e do Maracanã um novo Monumental de Nuñez, o principal estádio da Argentina.

Neste domingo, com uma torcida eufórica a lotar as arquibancadas do "Maior do Mundo", eles presenciaram a primeira vitória de sua seleção, com um bom triunfo frente à Bósnia, por 2 a 1.

A boa largada no Mundial permite aos argentinos sonhar com um "nuevo Maracanazo" na final da Copa, que será realizada no dia 13 de julho. Sim, eles querem enfrentar o Brasil na decisão e já sonham com esta épica conquista, que quebraria um jejum de 28 anos sem uma conquista de um Mundial.

A partida de estreia da Argentina atraiu a atenção do planeta bola. Afinal, o astro Lionel Messi estaria em campo e todos aguardavam uma excelente atuação do atacante do Barcelona, que ficou devendo em suas duas outras participações em Copas, em 2006 e 2010. Desta vez, porém, em sua primeira partida, ele não decepcionou.

Diante de um público de 74.738 torcedores, os argentinos mal puderam sentir a ansiedade de uma estreia de Copa do Mundo e já foram logo abrindo a contagem no Maracanã. E com um presentão do lateral esquerdo Kolasinac que, após cabeçada de Rojo, jogou contra seu patrimônio e tirou o zero do placar do Maracanã.

A tranquilidade que a seleção argentina poderia adquirir com a vantagem no placar, no entanto, não se traduziu em boas jogadas ofensivas. Messi, muito marcado, pouco pôde fazer na primeira etapa, sendo neutralizado pela zaga bósnia. A torcida argentina que lotou o Maracanã aguardava com aflição pelos lampejos de genialidade do melhor jogador argentino desde Maradona, mas eles não vieram. Do lado bósnio, tampouco vieram lances agudos na primeira etapa.

Argentina x Bósnia: melhores lances



À medida que o relógio avançava e a ausência de boas jogadas na partida prosseguia, ficava clara que a melhor disputa na noite de domingo no Maracanã ocorria mesmo na arquibancada. De um lado, os argentinos, eufóricos, tentavam levar ao estádio o clima das "canchas" portenhas. Do outro, os brasileiros adaptavam os cânticos das torcidas dos clubes cariocas para o apoio aos bósnios. Um espetáculo à parte.

Na segunda etapa, a partida melhorou "pero no mucho". Messi, aos poucos, foi tendo mais espaço e suas arrancadas e bons passes deram maior volume de jogo para a Argentina. Então, aos 19, veio o ansiado gol do craque, que arrancou do meio-campo, tabelou com Higuaín e bateu da entrada da área. A bola, caprichosamente, ainda bateu na trave antes de entrar, levando a torcida argentina ao delírio.

Quando tudo era festa, Ibisevic fez o primeiro gol da Bósnia, estreante na competição, na história das Copas. Apesar do gol ter trazido uma enorme carga de emoção ao jogo, ele veio tarde, e a vantagem argentina se sustentou no placar até o apito final do juiz.

Na próxima rodada, a Argentina pega o Irã, no Mineirão, em Belo Horizonte, ao passo que a Bósnia-Herzegovina enfrenta a Nigéria na Arena Pantanal, em Cuiabá. Os argentinos, porém, só pensam em uma coisa: no "nuevo Maracanazo".

Argentina x Bósnia-Herzegovina: torcida faz a festa