NOTÍCIAS
30/05/2014 14:48 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:42 -02

PP e Maluf apoiam o petista Alexandre Padilha na disputa pelo Governo de São Paulo

CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO CONTEÚDO

O Partido Progressista (PP), de Paulo Maluf, anunciou nesta sexta-feira (30) apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff e a Alexandre Padilha, ex-ministro da Saúde, pré-candidato do PT ao Governo de São Paulo. O ato aconteceu na Assembleia Legistativa do Estado de São Paulo e teve direito a foto de Padilha e Maluf, só que, desta vez, sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em 2012, uma foto de Paulo Maluf, Lula e o então candidato petista à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, teve ampla repercussão. Questionado sobre a ausência de Lula para repetir a foto da campanha municipal, Maluf disse: "Se quiser vou com vocês até o Instituto Lula para fazer a foto". Assim que Padilha chegou ao evento, o pré-candidato petista e Maluf ergueram juntos as mãos. "Viva Dilma, Viva Padilha", bradou Maluf.

Em seu discurso, Maluf disse estar certo de que a presidente Dilma Rousseff vencerá a eleição no primeiro turno. "Podem escrever e me cobrar, ela ganha no primeiro turno", disse. Maluf argumentou que eleição se ganha com "imagem e com mensagem" e que Dilma tem os dois, ressaltando os quase 14 minutos que a presidente terá de TV, ante os cerca de 4 minutos do adversário tucano Aécio Neves e os 2 minutos de Eduardo Campos (PSB).

Maluf repetiu confiança semelhante no prefeito petista Fernando Haddad, a quem apoiou nas últimas eleições municipais. "Haddad vai sair glorificado e será reeleito prefeito", disse. A eleição municipal será em 2016.

Assim como nos discursos dos petistas que o precederam, Emídio de Souza e Rui Falcão, Maluf fez críticas enfáticas à gestão de Geraldo Alckmin, do PSDB, no Governo do Estado, a quem acusou de não realizar os investimentos necessários para ampliar a capacidade do Sistema Cantareira, responsável pelo fornecimento de água da capital paulista.

"Não há falta de chuva, isso é uma mentira técnica, faltou é investimento", disse Maluf. O ex-prefeito e ex-governador também elogiou o governo da presidente Dilma Rousseff e a gestão do pré-candidato petista ao governo paulista, Alexandre Padilha, no Ministério da Saúde. "Padilha foi um dos melhores ministros da Saúde. Ele não teve preconceito. Trouxe médicos de outros países para atender a população mais carente", disse em referência ao programa Mais Médicos.

Padilha e Maluf discordaram, no entanto, quando o último afirmou que o PAS (Plano de Atendimento à Saúde), criado por Maluf quando prefeito da capital paulista, de 1993 a 1996, foi o melhor programa de saúde já implementado. Padilha virou o rosto e deu risada.

"Fui ministro da Saúde durante três anos e não implantei o PAS no Brasil, é uma demonstração de que nós temos projetos diferentes. Em temas, temos pensamentos diferentes, mas hoje o PT governa junto com prefeitos do PP implantando o SUS (Sistema Único de Saúde)", afirmou.

O presidente nacional do PT, presente ao evento, também bateu na questão da falta d'água, atribuindo a responsabilidade ao governo Alckmin. Rui Falcão disse que é preciso deixar o "eufemismo" de lado e chamar de racionamento o "rodízio" de água, que prejudica principalmente a periferia. O PSDB governa São Paulo há quase 20 anos, e o atual governador Geraldo Alckmin é candidato à reeleição.

Sobre as críticas de fisiologismo nas alianças feitas pelo PT tanto a nível federal quanto estadual, Falcão disse que o PP vem trazendo propostas importantes de governo. "O PP se apresentou trazendo propostas para o nosso projeto de desenvolvimento nacional".