NOTÍCIAS
28/05/2014 16:27 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Vamos descer do muro: dá para torcer pela Seleção e protestar contra a Copa do Mundo?

Getty Images

É difícil descer do muro quando não vemos o chão. O cerco ao ônibus da Seleção no Rio, empastelado com adesivos Não Vai Ter Copa, detonou um grande debate aqui na redação do Brasil Post. Como toda a mídia brasileira, estamos apanhando para achar o tom certo na cobertura da Copa. Mas o protesto que constrangeu os jogadores tirou o chão até de quem já tinha um lado preferido (seja por interesse ou alienação).

Debatemos, brigamos, tentamos sentir o que as pessoas estão compartilhando, consultamos gente de várias opiniões e procuramos praticar o diálogo. Chegamos a uma conclusão e queremos descer do muro. Mas não sem antes perguntar a você, que conversa com a gente, se estamos no caminho certo:

Torcer pela seleção e protestar contra a Copa cabe no mesmo coração?

Responda nos comentários desta página ou nas redes sociais com as hashtags #torcer #protestar #nossacopa.


Protestos embolam a Copa no meio de campo


Nossa primeira ideia era fazer um debate neste modelo, com a pergunta: cabe ou não cabe? Só que não conseguimos achar quem argumentasse inteligentemente pelo NÃO, mesmo entre os mais extremistas dos comitês populares, da academia ou do universo do ativismo. Ninguém arriscou mirar na Seleção brasileira, símbolo-mor indiscutível da identidade nacional. (Se você for um, por favor escreva para blog@brasilpost.com.br, publicaremos na hora).

O professor Pablo Ortellado, da EACH-USP, um dos fundadores do Centro de Mídia Independente 15 anos atrás, e co-autor de Vinte Centavos: a luta contra o aumento, resumiu timidamente o que vínhamos sentindo: "Entre nós, vou torcer pela seleção. E protestar pela Copa".

Uma das coordenadoras da Agência Pública, Natália Viana, que co-editou uma série de reportagens investigativas dentro do projeto Copa Pública, também soltou um tímido "eu vou torcer".

Mesma coisa o criador do jogo A Conta da Copa é Nossa, ainda em fase de financiamento por crowdfunding (e também autor do genial Brasil – Um País de Tolos), Guilherme Cianfarani: vai protestar mas curtir os jogos. "Eu vou torcer pro Messi ganhar uma Copa no Brasil e superar o Pelé como maior jogador da história! Eu torço é pela mitologia!"

Juliana Machado, do Comitê Popular de São Paulo, pontuou bem as coisas: "O futebol como esporte popular a ser retomado é pra nós uma questão importante. Seria contraditório falar contra o futebol" (ela vai nos enviar um texto defendendo esta questão e outras pautas dos comitês até o fim desta semana).

Resumindo, parece que a postura dos brasileiros diante da Copa será a seguinte: a seleção é uma coisa, o evento e seus desdobramentos é outra. Você concorda?

Responda nos comentários desta página ou nas redes sociais com as hashtags #torcer #protestar #nossacopa.

Na Copa de 1970, setores da esquerda fizeram campanha contra a torcida pela Seleção, acreditando que uma vitória do Brasil anestesiaria o povo, seria do interesse do presidente Medici. No Copa de 2014 tem muita gente torcendo contra para atingir o governo do PT, acreditando que uma derrota da Seleção atrapalharia a reeleição de Dilma. Não acreditamos que o povo brasileiro seja tão manipulável assim.

Estar nas ruas contra a Copa significa o quê? É pauta legítima dos movimentos sociais ou apropriação reacionária das massas? Se o Brasil ganhar a Copa, a Dilma será automaticamente reeleita? Ronaldo é o novo poeta brasileiro? A Fifa é o quinto poder? Estão plastificando a cultura brasileira com coisas de gringo?

Queremos discutir tudo isso. E vamos torcer pro Brasil, atentos e fortes.

LEIA TAMBÉM

Ricardo Garrido | Sinal verde para curtir a Copa (#yeswecan)

Camila Braga | A Copa é como gravidez: tá ou não tá

André Pascowtich | Chegou a Copa. E os turistas nada têm a ver com nossos erros

Diego Semerene | "Como que dá beijo nas menininha?": a über-masculinidade tosca de Neymar

Gabriela Costa | A estreita e histórica relação entre futebol e política

Amorim | A voz das ruas… (CHARGE)