NOTÍCIAS

IPI das Bicicletas: relator da Medida Provisória, Gabriel Guimarães, explica que rejeição está ligada ao momento de ajuste fiscal do país

15/05/2014 22:25 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02
ASSOCIATED PRESS
** TO GO WITH STORY SLUGGED CHINA BICICLETAS ** A worker arranges newly made bicycles at the Shanghai Forever Bicycle factory, Tuesday, May 6, 2008 in Shanghai, China. (AP Photo/Eugene Hoshiko)

Foi aprovado na última quarta-feira (14) por uma comissão na Câmara dos Deputados o relatório parcial da Medida Provisória 638/2014, que trata da alteração do texto do Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores - Inovar-Auto. O deputado Gabriel Guimarães (PT-MG), relator do texto, retirou a emenda de autoria do Senador Inácio Arruda (PCdoB-CE), que isentava bicicletas, partes e peças do IPI.

"Com toda a simpatia que tenho à Medida Provisória, a emenda não teve um ambiente político favorável à essa inclusão neste momento", falou o deputado Gabriel Guimarães ao Brasil Post nesta quinta-feira. "Como passamos por um momento de ajuste fiscal, nenhuma emenda incluída no novo texto da Medida Provisória abre mão de receita. A emenda das bicicletas abria e, portanto, foi retirada" explicou o congressista.

Segundo Guimarães, não houve pressão por parte das empresas de veículos automotores para que esta emenda fosse retirada do texto e considera que a retirada do IPI das bicicletas não vai contra um posicionamento "verde" do Partido dos Trabalhadores. "Não acho, de forma alguma, que vá contra um posicionamento de defesa do meio-ambiente por parte do PT, tanto que foram incluídas nesta mesma MP alterações que valorizam uma opção pela energia renovável, por exemplo, como é o caso do aumento do aumenta o teto de percentual do etanol na gasolina" explica o deputado.

Representante da Associação dos Ciclistas Urbanos de Belo Horizonte (BH em Ciclo), Guilherme Tampieri, discorda do posicionamento do deputado. "É bastante difícil de aceitar o fato de que, em um momento em que o PT quer se tornar um partido com uma relação melhor com o meio-ambiente, um deputado da própria base do governo seja contra a inclusão de uma emenda que, justamente, vai a favor do meio-ambiente e contra a emissão de mais poluentes" diz Tampieri.

Tampieri reclama também da falta de diálogo por parte do deputado. "Achei uma falta de respeito do gabinete do deputado não ter achado espaço na agenda para ter uma conversa conosco sobre o tema. Não levaram a sério o que nós queríamos fazer. E isso não é apenas conosco: foram mais de 100 mil assinaturas coletadas, é uma causa que diz respeito ao país todo". Guilherme explica que o último contato para tentar marcar uma reunião com o deputado foi feito no último mês de maio, sem retorno.

Por outro lado, Guimarães se põe aberto ao diálogo e diz que não foi procurado por nenhum ativista da causa pro-IPI para debater o assunto. "Eu conversei com o presidente da entidade interessada na emenda, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motos e Bicicletas, a Abraciclo, e sempre debati com os parlamentares que apresentaram a proposição, até o meu limite. Uma possibilidade de futuro diálogo não é descartada. Tenho todo interesse na matéria, mas não para este momento" finalizou o deputado.