NOTÍCIAS
08/05/2014 17:49 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:29 -02

Senador Roberto Requião detona Ricardo Boechat após vitória em processo por calúnia

Conhecido por suas polêmicas, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) soltou os cachorros para cima do jornalista Ricardo Boechat, da Rede Bandeirantes, nesta quinta-feira (8). O motivo: a condenação do apresentador do Jornal da Band a seis meses e 16 dias de prisão, por ofensas e calúnias contra o senador paranaense. Cabe recurso à decisão.

Requião – conhecido por suas ironias no Twitter, já relatadas pelo Brasil Post – usou a tribunal do Senado nesta quinta-feira para falar da decisão, proferida pela 1ª Vara Criminal de São Paulo. Para o senador, a decisão da juíza Aparecida Angélica Correa em converter a pena em serviços sociais é elogiável, mas não basta.

“A juíza que prolatou a sentença tomou o cuidado de converter essa cana, essa prisão, merecida pelo Ricardo Boechat, em trabalho social. E eu quero louvar a juíza também por essa medida, porque, se conduzissem o Ricardo Boechat a uma penitenciária brasileira, seguramente ele sairia de lá pior do que entrou, porque lá existirão pessoas com comportamento pior do que o dele. Então, o trabalho social é o caminho, ele não vai ajudar na superlotação das nossas penitenciárias e vai prestar um serviço social”, afirmou.

A origem da ação repousa em abril de 2011, quando o senador peemedebista se envolveu em uma polêmica com um repórter da Rádio Bandeirantes. Ao não gostar de uma pergunta sobre a aposentadoria que recebe como ex-governador do Estado do Paraná, Requião tomou o gravador do jornalista, ironizou a própria atitude em uma rede social, e só devolveu o equipamento com a entrevista devidamente apagada. Acabou criticado por Boechat e pelo jornalista Joelmir Beting, já falecido e que integrava a bancada do Jornal da Band.

Aproveitando o espaço na tribuna, Requião ainda defendeu o seu projeto de lei que prevê novas regras para o direito de resposta a quem se sentir ofendido ou caluniado por informações divulgadas pelos veículos de comunicação. De acordo com o projeto, o ofendido por matéria publicada terá o direito de divulgação de resposta gratuita e proporcional à matéria ofensiva, com o mesmo destaque, publicidade, periodicidade e dimensão.

“Essa história de censura da imprensa [em seu projeto] não tem pé nem cabeça. Mas a imprensa com a irresponsabilidade do Ricardo Boechat não pode difamar e caluniar pessoas de uma forma absolutamente impune. Fica o meu apelo aos deputados: vamos defender a imprensa, vamos combater a censura, estabelecendo a regulamentação do princípio constitucional do contraditório através da votação do meu projeto de lei de direito de resposta”, completou o senador.

Em entrevista ao Portal Imprensa, Ricardo Boechat minimizou a condenação, em primeira instância. “Ontem me avisaram que tinha uma condenação e o jurídico da Band vai recorrer. Não tem muito o que comentar, mas não mudo uma vírgula daquilo que eu disse”, declarou o jornalista. É a segunda vez que o nome de Boechat ganha destaque na semana. A primeira foi o seu comentário contra a jornalista Rachel Sheherazade, após o linchamento de uma dona de casa no Guarujá (SP) no fim de semana.

Levando em conta as muitas instâncias da Justiça no Brasil, o caso está longe do fim, ao que parece.

(Com Agência Senado)