NOTÍCIAS
08/05/2014 10:42 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:29 -02

Marina entra no ringue: 'marca de Dilma é retrocesso e PSDB de Aécio tem cheiro de derrota'

ALOISIO MAURICIO/BRAZIL PHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚ

Candidata a vice-presidente pela chapa PSB-Rede, com Eduardo Campos como presidenciável, Marina Silva colocou as asas de fora para distanciar o companheiro do adversário tucano. Em entrevista à Folha de S. Paulo, publicada nesta quinta-feira (8), ela disse que Eduardo Campos é "sem dúvida alguma" mais competitivo que Aécio Neves. "O PSDB sabe que já tem cheiro de derrota no segundo turno", afirmou Marina ao repórter Bernardo Mello Franco.

Com a declaração, a ex-ministra acaba com o clima amigável entre os dois principais rivais da presidente Dilma Rousseff no pleito de outubro. Na semana passada, Aécio elogiou Campos e fez referência à ex-senadora. "Não vejo como, a partir de 2015, não estarmos eu, Campos e Marina no mesmo projeto de País", falou o senador mineiro a empresários reunidos em fórum em Comandatuba (BA).

Na segunda, Campos já havia dito que os debates eleitorais mostrariam as "claras" diferenças entre ele e Aécio. Marina ratificou essa posição para a Folha: "Campos protagoniza uma agenda progressista de respeito aos direitos sociais, de não ir pelo caminho mais fácil de reduzir a maioridade penal e a conquista dos trabalhadores".

Em abril, Aécio disse que é favorável à redução da maioridade penal de 18 para 16 anos em caso de crimes violentos.

Sobre Dilma, Marina atacou a gestão da presidente, comparando-a com a dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva.

"A presidente encerra o governo sem uma marca, como a estabilização econômica do FHC e a inclusão social de Lula. A marca de Dilma é o retrocesso", destacou.

LEIA MAIS:

- Dilma, Aécio e Campos: campanha bomba a dois meses de início oficial

- Aécio e Campos crescem com intenções de voto perdidas por Dilma