NOTÍCIAS
08/05/2014 15:46 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:29 -02

Barbárie no Paraná: menina de 13 anos é morta a pedradas por ciúmes em Foz do Iguaçu

Reprodução/Arquivo pessoal/Rádio Cultura de Foz

Uma menina de 13 anos foi brutalmente assassinada a pedradas na última segunda-feira (5) em Foz do Iguaçu, no interior do Paraná. Taís Cristina Martins, de 13 anos, foi morta por outras duas adolescentes, uma de 15 e outra de 18 anos, e o motivo da barbárie seria ciúmes, já que a vítima estaria tendo um relacionamento com o namorado de uma das garotas. É o segundo crime de intolerância registrado em menos de uma semana no Brasil.

De acordo com informações da Rádio Cultura de Foz do Iguaçu, as duas acusadas pelo crime confessaram a participação na tragédia. Antes de serem detidas, ambas quase foram linchadas por moradores que, revoltados, estavam ajudando nas buscas pelas duas. O desfecho poderia ter sido semelhante ao registrado no Guarujá, no litoral paulista, quando uma dona de casa foi linchada por moradores, acusada de ser uma sequestradora – o que foi descartado pela polícia local.

A Polícia Civil de Foz informou que Taís saía da escola quando foi levada pelas duas meninas a um local próximo da Subestação de Furnas. Em depoimento, a mais velha, Jéssica Culodel, disse ao delegado Marcos Araguari de Abreu que apenas segurou a vítima, enquanto a menor de 15 anos teria dado as pedradas.

LEIA TAMBÉM

Mulher espancada no Guarujá: dona de casa morre após ser alvo de justiceiros em meio a boatos

Boechat alfineta Sheherazade: apresentadora também é responsável pela morte de mulher espancada por 'justiceiros'

O Instituto Médico Legal (IML) apontou que o traumatismo craniano, ocasionado pelas pedradas, foi a causa da morte de Taís. A suspeita de 18 anos alegou aos policiais que a morte teria sido por outro motivo, um afogamento, já que o corpo de Taís foi jogado em um riacho no local do crime.

O corpo de Taís foi enterrado e, emocionada, a mãe da vítima, Maria Aparecida Gonçalves Martins, lamentou que duas meninas que diziam ser amigas da filha tenham cometido o crime bárbaro. “Uma falsa amiga que levou ela para a emboscada (...). Quero justiça. Cada um que fez isso vai ter que pagar. Minha filha era uma criança”, declarou. A polícia ainda investiga o envolvimento de dois rapazes e uma outra menor de idade no crime.

A barbárie registrada no Paraná se aproxima de outro crime cruel registrado em Minas Gerais, em 2012. Na ocasião, duas meninas de 13 anos mataram outra adolescente, de 12. O coração da vítima ainda foi retirado pelas duas autoras, como prova do assassinato.