NOTÍCIAS
01/05/2014 19:08 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:29 -02

Cientistas transformam células da pele de homens estéreis em espermatozoides prematuros

iLexx via Getty Images

Cientistas da Universidade de Stanford, uma das melhores dos EUA, transformaram células da pele de homens estéreis em espermatozoides no estágio inicial, o que pode levar a novos tratamentos para homens nessa condição.

O jornal britânico The Guardian publicou nesta quinta (1º) reportagem sobre a experiência científica. Os homens que participaram do estudo têm problemas genéticos em seus cromossomos Y e não podem produzir espermatozoides saudáveis.

LEIA TAMBÉM

O que fazer para manter os espermatozoides saudáveis (e o sorriso no rosto)

No estudo, os pesquisadores retiraram as células da pele de três homens estéreis e as converteram em células-tronco, que podem se desenvolver em quase todos os tecidos do corpo. Quando essas células foram transplantadas para os testículos de cobaias, elas se desenvolveram em estágios iniciais de espermatozoides.

“O que descobrimos é que aquelas células de homens que não possuíam a capacidade de produzir espermatozoides foram capazes de produzir precursores de espermatozoides”, disse ao Guardian o pesquisador Cyril Ramathal, da Universidade de Stanford, na Califórnia.

A pesquisa está num estágio inicial, mas os cientistas acreditam que as células de pele convertidas em células-tronco teriam se desenvolvido em espermatozoides maduros caso tivessem sido transplantadas nos testículos dos doadores. Se isso se confirmar, homens estéreis poderiam se tornar pais a partir de células de sua pele.

Leia a reportagem completa no Guardian.