COMPORTAMENTO

Comidas inventadas por acidente. Veja pratos, doces e molhos criados ao acaso (FOTOS)

17/04/2014 11:17 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:23 -02

Você saberia dizer qual é a relação entre um picolé, cereais matinais e cookies com gotas de chocolate?

Além de serem extremamente deliciosos, todos foram criados por acidente. São situações aleatórias do cotidiano ou acontecimentos comuns de um dia de trabalho na cozinha, mas que acabaram dando vida aos sabores mais incríveis que você conhece.

Para atiçar a sua fome e o seu conhecimento, montamos uma seleção de sete pratos, molhos e doces que você adora, come quase todos os dias, mas que quase passaram despercebidos.

  • Picolé
    Pass The Sushi
    Aos 11 anos, Frank Epperson W. inventou o picolé por acidente. Era 1905, Epperson colocou uma vara de mistura em uma xícara com água e suco em pó, foi dormir e deixou o recipiente em sua varanda durante a noite. Na manhã seguinte ele encontrou a mistura congelada. Mais tarde, ele patenteou a doce criação acidental.
  • Cookies com gotas de chocolate
    Lauri Patterson via Getty Images
    Em 1930, uma mulher chamada Ruth Wakefield inventou cookies com gotas de chocolate por acidente - e mudou a vida de milhares de pessoas no mundo todo. Dona de uma pousada, Wakefield preparava Cookies para os visitantes quando se deu conta: estava sem o tradicional chocolate em pó, utilizado para fazer os bolinhos. Resolveu substituir por pedaços de chocolate em barra, pensando que ele seria absorvido pela massa. Bom, o resultado você já sabe...
  • Crêpes Suzette
    James And James via Getty Images
    Ainda que a origem deste prato seja contestada, a história começa em 1895, com um assistente de garçom de apenas 14 anos em um café na cidade de Monte Carlo. Seu nome era Henri Charpentier. Um dia, quando estava preparando sobremesa para o Príncipe de Gales, o futuro rei Eduardo VII da Inglaterra, a sobremesa acidentalmente pegou fogo. O que se seguiu foi uma mistura surpreendente de sabores e que se transformou em um dos pratos mais populares de todos os tempos. Em sua autobiografia, Charpentier escreveu sobre o incidente: "Foi por acaso, enquanto eu trabalhava com o prato os licores pegaram fogo. Eu pensei que estava arruinado. O príncipe e seus amigos estavam esperando. Eu não podia começar tudo de novo. Provei e pensei: 'era a mais deliciosa melodia de sabores doces que eu já havia provado'".
  • Sucrilhos
    Tastyart Ltd Rob White via Getty Images
    Em 1898, os irmãos W.K. Kellogg e Dr. John Harvey Kellogg trabalhavam em um sanatório em Michigan. Eles buscavam por uma comida saudável para servir aos pacientes quando, acidentalmente, misturaram trigo à massa que vinham desenvolvendo. Ao trabalhar com a massa já endurecida, a porção rachou em flocos. Mais tarde, torrados e servidos aos pacientes no café da manhã, os flocos tiveram forte aceitação. A dupla ainda viria a testar a mesma massa utilizando de outros grãos. O milho foi o mais aceito, experimento que levaria os irmãos a investir na produção em série do alimento em poucos anos.
  • Casquinha de Sorvete
    Christopher Villano via Getty Images
    Na Feira Mundial de St. Louis Mundo, em 1904, um vendedor de sorvete chamado Arnold Fornachou estava vendendo tanto sorvete que acabou sem copos. Felizmente, um homem chamado Ernest Hamwi, que vendia doces nas proximidades, decidiu vir ao resgate de Fornachou. Enrolando a massa de waffles, Hamwi criou um suporte tão prático quanto comestível. Naturalmente, o primeiro "cone de waffle" foi um sucesso imediato.
  • Batatas Chips
    Alasdair Thomson via Getty Images
    Crocantes, salgadinhas e acidentais. Segundo a história, o chef nova-iorquino George Crum precisou atender pessoalmente um cliente incomodado com a "grossura" das batatas fritas. Depois de duas tentativas recebidas de forma negativa pelo cliente, Crum resolveu apelar e cortar as batatas em uma espessura tão fina, quanto a de uma folha de papel. Fritas e entregues ao cliente, as batatas chips não apenas foram aceitas, como se transformaram em um sucesso mundial.
  • Molho Inglês
    bsabarnowl/Flickr
    Segundo a lenda, um nobre voltou para a Inglaterra depois de uma temporada na Índia. Contratou dois químicos, John Lea e William Perrins, para recriar um tempero que ele tinha realmente havia gostado em sua passagem no exterior. Os químicos não gostaram da mistura que surgiu e acabaram deixando o frasco em uma adega. Anos mais tarde eles redescobriram o molho e perceberam que a fermentação havia dado um novo sabor ao molho.