NOTÍCIAS
16/04/2014 08:50 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:23 -02

Ex-diretor da Petrobras é um dos 46 indiciados pela PF por crime de quadrilha e lavagem de dinheiro

MARCOS ARCOVERDE/ESTADÃO CONTEÚDO

A Polícia Federal indiciou 46 pessoas na Operação Lava Jato, que desmantelou esquemas de lavagem de dinheiro. Quatro inquéritos compõem a primeira etapa da investigação. O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, preso há cerca de um mês, foi um dos indiciados e é uma das personagens no olho do furacão que devasta a estatal neste ano.

Costa e o doleiro Alberto Youssef, figura-chave do esquema, foram indiciados por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e crimes contra o sistema financeiro. Youssef também vai responder por financiamento de tráfico de drogas. Ele é acusado de fazer operações financeiras para um traficante, segundo a Folha de S. Paulo.

A defesa do doleiro classificou a acusação como absurda, alegando à Folha que Youssef "nunca atuou nesse tipo de mercado".

Ontem (15), a presidente da Petrobras, Graça Foster, disse no Senado que a prisão de Paulo Roberto Costa causou "grande constrangimento" na estatal.

As quadrilhas desmontadas pela Operação Lava Jato movimentaram R$ 10 bilhões.

LEIA MAIS:

- Deputado do PT sobre doleiro preso: ''Não sabia com quem estava me relacionando"

- Conheça Nelma Kodama, a doleira que escondeu 200 mil euros na calcinha

Operação Lava Jato: os bens luxuosos das quadrilhas presas pela PF