NOTÍCIAS
12/04/2014 14:34 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:23 -02

Ocupação da Maré registra primeira morte e moradores protestam

WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

Uma semana depois de o Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, ter sido ocupado pelas Forças Armadas, confrontos com militares resultaram em uma morte. Na manhã deste sábado (12), um homem de 20 anos, ainda não identificado, foi atingido durante uma troca de tiros e morreu no local, informou o jornal O Globo.

Segundo o Comando da Força de Pacificação, o rapaz resistiu a uma abordagem, depois de ter sido identificado como traficante pelos oficiais. A assessoria da Força de Pacificação disse ao G1, que o veículo do Exército passava pela Vila do Cruzeiro, quando avistou dois suspeitos. Eles dispararam contra os oficiais e houve troca de tiros. Um deles foi atingido, enquanto o outro conseguiu fugir. Ainda de acordo com os militares, a vítima portava um rádio transmissor e três cartuchos de pistola. Já os moradores disseram que o rapaz era funcionário de um lava-rápido da região, que chegava para trabalhar, mas após ver um homem correndo, teria se assustado e corrido também.

Em protesto contra a ação, eles fecharam a Linha Amarela e a avenida Brasil com pedras e paus. As manifestações foram logo controladas pela polícia. Uma reportagem do jornal Estado de S. Paulo divulgou que moradores afirmaram que os militares “plantaram” uma arma ao lado do corpo para “justificar” a morte.

A ocupação está programada para durar ao menos até julho, quando termina da Copa do Mundo.