NOTÍCIAS
11/04/2014 13:00 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:23 -02

Deputado enrolado do PT chora as mágoas com companheiros em lanchonete de São Paulo

vargas

Transtornado, o deputado licenciado André Vargas (PT-PR) recebeu o apoio e os afagos dos companheiros petistas em uma famosa hamburgueria de São Paulo na noite desta quinta-feira (10). Por volta das 21h30, o parlamentar chegou acompanhado de dois correligionários à lanchonete nos Jardins, zona sul da capital paulista. Além de ouvir conselhos dos colegas, Vargas passou boa parte da noite no celular em ligações tratando da crise enfrentada por ele, que acabou culminando com sua renúncia à vice-presidência da Câmara nesta semana.

O entra-e-sai de petistas foi permanente durante a noite no local, na Alameda Santos. Ao menos cinco dividiram a mesa com Vargas. Em certos momentos, o parlamentar se levantava para falar de forma mais reservada com alguns deles. Entre os ombros amigos, estavam o deputado federal Cândido Vaccarezza (PT-SP) e o secretário nacional de organização do partido, Florisvaldo Souza.

vargas

Florisvaldo (foto acima) integra a comissão do PT que vai ouvir Vargas oficialmente nesta sexta-feira (11). Segundo a Folha de S. Paulo, esse grupo foi constituído por três dirigentes da Executiva Nacional com o intuito de tomar depoimento do petista antes de se instaurar uma comissão de ética para apurar a relação dele com o doleiro Alberto Youssef.

Se hoje o depoimento ao partido será oficial, ontem o papo foi informal, regado a cerveja e pães de queijo. Abatido, Vargas preferiu uma refeição mais light. Comeu um filé de peixe grelhado, ao molho de vinho branco, com arroz primavera e aspargos.

vargas

Defesa no Conselho de Ética

Habitué da lanchonete em suas idas a São Paulo, Vargas avisou ontem pelo Twitter que não iria a Londrina neste fim de semana para ficar na capital paulista preparando a própria defesa no Conselho de Ética da Câmara. Nesta semana, o conselho abriu processo contra o parlamentar por quebra de decoro parlamentar. O deputado Júlio Delgado (PSB-MG) foi escolhido relator.

André Vargas já falou em Brasília sobre a sua ligação com o doleiro Alberto Youssef, preso no mês passado pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal. Youssef é investigado por lavagem de dinheiro.

Várias reportagens divulgadas nas últimas semanas colocaram o deputado sob suspeita por intermediar negócios de Youssef com o Ministério da Saúde. Além disso, Vargas pegou uma 'carona' em um jatinho bancado pelo doleiro.

Após falar pelo caso no Twitter pela primeira vez – "Cometi um equívoco, lamento por isto e vou encarar tudo de frente", Vargas apagou os tweets.