NOTÍCIAS
08/04/2014 11:44 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:23 -02

Americanos são questionados sobre a localização da Ucrânia - e o resultado é curioso

GETTY

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos em março perguntou a 2.066 americanos como eles acham que o seu governo deve proceder na crise da Ucrânia, com uma pergunta bônus: onde mesmo fica a Ucrânia?

O resultado é, no mínimo, curioso:

mapa eua ucrânia

Os pontos representam onde um americano apontou a localização da Ucrânia, sendo que os vermelhos são os mais próximos do lugar certo e os azuis os mais distantes

“Descobrimos que apenas um em cada seis americanos consegue localizar a Ucrânia em um mapa, e essa falta de conhecimento está relacionada a preferências: quanto mais longe estavam suas suposições da verdadeira localização da Ucrânia, mais eles queriam que os EUA realizassem uma intervenção militar”, diz o artigo da pesquisa.

O artigo, publicado no blog Monkey Cage, do jornal americano Washington Post, é assinado pelos cientistas políticos Kyle Dropp (da Dartmouth College) Joshua D. Kertzer (da Universidade de Harvard) e Thomas Zeitzoff (da Universidade de Princeton). Os professores também são responsáveis pela pesquisa, em parceria com a empresa Survey Sampling International Inc. (SSI).

“Apesar de dois terços dos americanos terem chegado perto da localização real da Ucrânia, a maioria mostrou saber muito pouco sobre o que acontece no território - ou sequer onde fica o território”, diz o artigo.

A pesquisa, realizada em março deste ano, apontou que apenas 16% dos americanos acertaram a localização da Ucrânia, clicando em algum ponto entre suas fronteiras. Por outro lado, 13% acreditam que a melhor saída é o uso da força (dos EUA, claro) no país.

Situação

Enquanto diplomatas americanos e russos se encontram em capitais europeias nas últimas semanas para debater o futuro da Ucrânia, nunca está presente um representante da Ucrânia. A Rússia se negou a discutir o assunto com o atual governo desde que os protestos de fevereiro derrubaram o presidente pró-russos do poder. Já o Ocidente parece se sentir no comando das discussões com o Kremlin.

Bem, não é a primeira vez em que a Ucrânia se debate entre grandes poderes políticos. Historiadores traçaram paralelos entre o presente e como Roosevelt, Churchill e Stalin dividiram a Europa e a região de Ialta depois da II Guerra Mundial - colocando países do leste europeu sob a órbita soviética. Agora, alguns ucranianos temem que a história se repita, já que são excluídos das negociações.

“Nenhum diálogo real é possível sem a Ucrânia”, disse em coletiva na semana passada o vice-chanceler ucraniano Danylo Lubkivsky. Por isso, esta semana foi anunciada uma rodada de conversas entre EUA, UE, Ucrânia e Rússia, que deve acontecer nos próximos 10 dias.

(Com Associated Press)