NOTÍCIAS
01/04/2014 19:01 -03 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

PT tenta última cartada contra criação de CPI da Petrobras no Senado

Rodolfo Buhrer/Fotoarena/Estadão Conteúdo

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) pediu no fim da tarde desta terça-feira (1º) a impugnação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras no Senado. Através de uma questão de ordem – instrumento que questiona a interpretação segundo o regimento da Casa –, Gleisi alegou que a comissão pedida pela oposição é inconstitucional, já que os argumentos que pautam a CPI não teriam relação entre si.

A situação se deu minutos depois da leitura do requerimento que pedia a criação da comissão para investigar a Petrobras. O documento foi lido pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), a pedido do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Os senadores que assinaram o requerimento podem retirar as suas assinaturas até as 23h59 desta terça-feira, segundo o regimento parlamentar. Calheiros promete uma resposta nesta quarta-feira (2) acerca do tema levantado pela senadora.

LEIA TAMBÉM

CPI da Petrobras: oposição sinaliza apoio também à criação da CPMI dos cartéis

Oposição no Senado consegue assinaturas para CPI

Com base no documento apresentado pelo senador Alvaro Dias (PSDB-PR), a CPI tem como foco a investigação de quatro fatos relacionados à Petrobras: a aquisição da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, que teria causado prejuízo de mais de US$ 1 bilhão à estatal; averiguar se funcionários da Petrobras receberam propina de uma empresa holandesa para fechar contratos de aluguel de plataformas do pré-sal; investigar a suspeita de superfaturamento de refinarias; e corroborar ou não o lançamento de plataformas sem todos os equipamentos de segurança.

O líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (SP), mostrou-se bastante inconformado com a argumentação de Gleisi Hoffmann, afirmando que outras CPIs já foram realizadas segundo questões semelhantes às do requerimento que pede a CPI da Petrobras.

Do lado governista, o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PT-PE) reafirmou que a meta é fazer uma investigação ainda mais abrangente do que somente apurações relativas à Petrobras. Todas com algum ônus políticos aos rivais PSDB e PSB.

Enquanto isso, na Câmara Federal, a oposição continua colhendo assinaturas e garante que irá alcançar as 171 necessárias para a criação da Comissão Parlamentar Mista (CPMI) da Petrobras. É o que disse o líder do DEM, deputado Mendonça Filho (PE). “Já temos um número considerável de assinaturas e a sinalização positiva de partidos da base como o PR e o PMDB. Temos convicção de que de hoje para amanhã vamos reunir as assinaturas necessárias para que a CPI da Petrobras se instale no âmbito do Congresso”, afirmou, em declarações reproduzidas pela Agência Câmara.