NOTÍCIAS
31/03/2014 21:44 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:16 -02

Malásia muda versão das últimas palavras da cabine do avião desaparecido

Pool via Getty Images
PERTH, AUSTRALIA - MARCH 21: The Norweigen merchant transport ship Hoegh St Petersburg which has been diverted to take part in the search is seen from a Royal Australian Airforce AP-3C Orion from Pearce Airforce Base during a search mission for possible MH370 debris on March 21, 2014 in Perth, Australia. Australian authorities yesterday received satellite imagery that shows two large objects in the Indian Ocean that may be debris from missing Malaysian Airlines flight MH370. The airliner went missing nearly two weeks ago carrying 239 passengers and crew on route from Kuala Lumpur to Beijing. (Photo by Justin Benson-Cooper - Pool/Getty Images)

As últimas palavras ditas por um dos pilotos do avião desaparecido da Malaysia Airlines para a torre de controle foram "Boa noite, Malaysian três sete zero", afirmou a autoridade de aviação civil da Malásia, mudando o relato anterior da última mensagem, que era um despreocupado "Tudo bem, boa noite".

Leia também: O lado humano da tragédia da Malásia

A correção do relato oficial das últimas palavras foi feita enquanto as autoridades malaias enfrentam pesadas críticas pelo modo como lidaram com o desaparecimento, em especial por parte dos familiares dos passageiros chineses a bordo de voo MH370, que acusaram a Malásia de administrar mal as buscas e reter informações.

"Gostaríamos de confirmar que a última conversa na transcrição entre o controlador de tráfego aéreo e a cabine foi à 1h19 (horário da Malásia) e foi "Boa noite, Malaysia três sete zero", informou o Departamento de Aviação Civil em um comunicado nesta segunda-feira.

O embaixador da Malásia na China havia dito a famílias chinesas em Pequim, em 12 de março, quatro dias após o avião desaparecer, que as últimas palavras foram "Tudo bem, boa noite".

Saiba mais: Mais de 100 objetos que podem ser do avião desaparecido são encontrados no Índico

"Boa noite, Malaysia três sete zero" seria um aviso mais formal de fim de uma transmissão, feito a partir da cabine do Boeing 777, que estava de saída do espaço aéreo controlado pela Malásia em sua rota de Kuala Lumpur para Pequim.

Minutos depois, as comunicações foram cortadas e o avião fez meia volta, cruzando a Malásia em direção ao oceano Índico. Passadas mais de três semanas, um enorme esforço de busca internacional está em andamento no sul do Índico, a oeste da Austrália, mas até agora não foram encontrados destroços.

O comunicado da autoridade da aviação civil surgiu depois que o ministro interino dos Transportes, Hishammuddin Hussein, foi questionado em uma entrevista coletiva nesta segunda-feira sobre as últimas palavras da cabine e rejeitou os pedidos para liberar a transcrição oficial.

Segundo o comunicado, as autoridades ainda estavam realizando "investigação forense" para determinar se as últimas palavras vindas da cabine foram do piloto ou do copiloto. Anteriormente, a Malaysia Airlines havia dito que se acreditava que as palavras fossem do copiloto.

O departamento de aviação civil afirmou que a equipe de investigação foi instruída a liberar a transcrição completa na próxima reunião com os familiares.

A Malásia diz que o avião, que desapareceu menos de uma hora após o início do voo, pode ter sido desviado deliberadamente para longe da rota. Os investigadores não encontraram nenhum motivo aparente ou outros fatos que chamassem a atenção entre os 227 passageiros e 12 tripulantes. Cerca de dois terços dos passageiros eram chineses.