NOTÍCIAS
28/03/2014 09:25 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:16 -02

Vírus do Ebola se espalha pela Guiné e chega até capital

Reuters

Um surto mortal do vírus Ebola, que se suspeita tenha causado a morte de pelo menos 63 pessoas, se espalhou da área rural da Guiné para a capital, Conacri, disseram autoridades nesta quinta-feira, depois que nações da África Ocidental apontaram o vírus como uma séria ameaça para a segurança regional.

O ministro da Saúde, Remy Lamah, disse à Reuters que quatro casos da febre hemorrágica - uma das doenças infecciosas mais letais conhecidas pelo homem - tinham sido confirmados na capital e as vítimas foram colocadas em quarentena.

A propagação do vírus Ebola para Conacri, cidade de cerca de 2 milhões de pessoas, marca uma escalada do surto na Guiné, uma das nações mais pobres do mundo, apesar de possuir ricos depósitos de bauxita e minério de ferro que atraem as empresas internacionais de mineração.

Até quarta-feira, 63 mortes haviam sido relatadas com base em casos suspeitos na remota Região da Floresta, no sudeste do país. Pelo menos mais seis pessoas morreram em Serra Leoa e na Libéria com os sintomas do Ebola - a maioria delas vindas da Guiné.

Descoberto em 1976, após um surto na República Democrática do Congo, então chamado de Zaire, o Ebola provoca uma febre hemorrágica grave em que as vítimas sofrem vômitos, diarreia e hemorragia interna e externa.

Desde a sua descoberta sabe-se que o Ebola - nome de um rio no norte do Congo - matou mais de 1.500 pessoas. Não há cura ou vacina, em parte porque a raridade da doença faz com que o desenvolvimento de medicamentos seja difícil.