COMPORTAMENTO
27/03/2014 10:51 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:16 -02

Crianças brasileiras estão abandonadas à própria sorte na internet, revela pesquisa

Adam Berry via Getty Images
BERLIN, GERMANY - FEBRUARY 11: Students use Apple Mac computers at the Friedensburg Oberschule (Friedensburg high school) during the tenth annual Safer Internet Day (SID) on February 11, 2014 in Berlin, Germany. Safer Internet Day (SID) is held internationally to promote safer and more responsible use of online technology and mobile phones, particularly amongst younger people. (Photo by Adam Berry/Getty Images)

As crianças e jovens brasileiros estão abandonados à própria sorte na internet. Essa é a principal conclusão de uma pesquisa inédita apresentada hoje pela fabricante de antivírus McAfee e Ábaco Research. O levantamento inovou ao ouvir, ao mesmo tempo, jovens e pais. O resultado é para lá de preocupante: 75% dos pais, que se reconhecem tecnologicamente ultrapassados, afirmam não ter tempo para não monitorar as atividades de seus filhos na rede.

Ao contrário do que acontece em países como os EUA, a "alfabetização digital" não faz parte do currículo escolar brasileiro. Como apenas 44% dos jovens entrevistados afirmam já ter recebido algum tipo de orientação familiar sobre como se proteger de ameaças online, a conclusão é que nossas crianças e adolescentes são verdadeiros órfãos digitais, vulneráveis a todo tipo de perigo, começando com o vício no uso dos aparelhos, passando por vírus e golpes como o "phishing scam", e chegando até ataques de pedófilos.

Intitulado “Os Riscos na Vida Digital: Filhos Superconectados X Pais Ausentes”, o levantamento ouviu 415 crianças, adolescentes e jovens entre 10 e 23 anos e 406 pais de 28 a 65 anos. Os questionários online foram aplicados entre outubro e novembro do ano passado. Alguns números são assustadores: 41% das crianças e jovens entrevistados revelaram já ter se encontrado pessoalmente com estranhos que conheceram na internet.

Os pais não percebem o potencial dessas ameaças. E acreditando que o acesso a tecnologia é indispensável para garantir o futuro profissional dos seus filhos, realizam sacrifícios financeiros na compra de smartphones, tablets e computadores, que são entregues sem maior controle às crianças e adolescentes. E o que a molecada faz com esses aparelhos? Nada tão edificante: 25% confessaram já ter colado em alguma prova usando o celular.

Quando questionados sobre segurança digital, os pais revelam uma profunda desconexão com comportamento de seus filhos na rede, subestimando ou evitando enfrentar as ameaças da rede. Apenas 35% dizem ter algum tipo de controle sobre os aparelhos que fornecem aos filhos. E 40% dos pais ouvidos no levantamento confessam temer a tecnologia.

Outros dados interesantes da pesquisa:

- 41% dos jovens já marcaram encontro com desconhecidos pelas redes sociais, e 18% tiveram experiências negativas nesses encontros

- 61% dos pais não acreditam que os filhos podem ter problemas graves pelo uso da internet

- 64% dos jovens apagam histórico das conversas mais comprometedoras que têm na rede

- 6 em cada 10 pais acreditam saber tudo que seus filhos fazem na internet

- 41% das crianças e adolescentes já visitaram sites que os pais não aprovariam, e 33% mudariam de comportamento caso os pais estivessem observando