NOTÍCIAS
25/03/2014 17:40 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:16 -02

50 anos do Golpe: Alves nega pedido de Bolsonaro para exaltar militares

Ed Ferreira/Estadão Conteúdo

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), negou na tarde desta terça-feira (25), um requerimento do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) para homenagear os militares acerca do que ele chama de “Revolução de 31 de março de 1964”, quando o então presidente João Goulart foi derrubado e instalou-se a ditadura militar por 21 anos no País.

Em sua página no Twitter, Alves alegou que a “Câmara não pode homenagear um regime que fechou três vezes esta Casa e cassou 173 parlamentares”.

O presidente da Câmara anunciou ainda que o requerimento sobre o mesmo assunto, protocolado pela deputada Luiza Erundina (PSB-SP), mas para a realização de uma sessão solene em homenagem aos que morreram ou foram perseguidos pelos militares durante a ditadura, foi aceita.

A decisão, segundo Alves, foi acatada pelos líderes partidários da Casa.

Por enquanto, Bolsonaro não respondeu à negativa. Em seu site oficial, o deputado inclusive já anunciava o evento em homenagem aos militares para o dia 1º de abril, às 9h30.